quinta-feira, 13 de maio de 2010

A gente chega lá: Fórmula Universitária

Como os pilotos chegam à F1 todos sabem. Anos no kart, depois as categorias de monopostos. Daí em diante, carros mais potentes até a principal categoria do automobilismo. Mas como chegam lá os profissionais responsáveis pelos carros? Engenheiros de diversas áreas e outros  profissionais sem os quais nem F1 nem seus grandes pilotos existiriam? 

Uma resposta são as categorias escola existentes atualmente em vários países, incluindo o Brasil. E em 2009, surgiu a idéia de criar uma categoria universitária de automobilismo, que teria como objetivo formar profissionais para trabalhar nas principais categorias automobilísticas do Brasil (e quem sabe F1 ou FIndy) além de oferecer oportunidade para que pilotos recém-saídos do kart pudessem experimentar a sensação de pilotar um monoposto e ter uma equipe multidisciplinar ao seu lado, assim como acontece na F1. Daí nasceu o Fórmula Universitária, que seria um evento de apoio à F3 Sulamericana e envolveria equipes de Universidades brasileiras. Na UnB formou-se a APUAMA Racing derivada da equipe de F-SAE com mesmo nome (da qual participei em 2005). 
A idéia da empresa MKT63 é audaciosa. Equipes multidisciplinares (envolvendo diferentes departamentos da universidade: engenharias, psicologia, jornalismo, desenho industrial e até mesmo música) que vão 5 etapas durante a temporada. Para isso, a CBA ofereceu os carros às equipes. Os bólidos são iguais, têm chassis fabicados na argentina e utilizam pneus radiais (para carros de rua). Para manter a disputa mais justa, não há kit asa, ou seja, sem aparatos aerodinâmicos. O motor é do GM Corsa 1.6l a gasolina. Tudo isso para que as 12 equipes disputem em pé de igualdade a temporada da F-Universitária. E os alunos terão muito trabalho. Eles mesmos farão os ajustes nos carros, serão responsáveis pelos "press releases", transporte, alimentação, decisões de pista, alterações no carro, interpretação do regulamento técnico, preparação física do piloto... um desafio enorme pela frente!


Equipe APUAMA
 credito: Superesportes

Com o nome em Tupi que significa veloz, a APUAMA vai entrar na F-Universitária com sua experiência anterior da F-SAE. Entretanto, agora os alunos da Engenharia Mecânica ganharam mais colaboradores. São estudantes de engenharia automotiva, engenharia de software, psicologia, jornalismo, nutrição, educação física, música, direito e desenho industrial. E não vão ter moleza. Mesmo com um calendário de competições apertado e horas de trabalho de desenvolvimento do carro e da equipe, terão que dar conta também das matérias da Universidade. Mas estão todos muito animados e já não conseguem esconder a expectativa pela primeira prova de exibição que será realizada no próximo domingo, juntamente com a etapa de Brasília da F-3. Desde a chegada do carro os alunos estão mobilizados e correndo contra o tempo para deixá-lo pronto para correr e também estruturar a equipe. 
O piloto da APUAMA será Raphael Sá de 17 anos que fará sua estréia nos monopostos após anos de uma carreira consistente no kart. Além dele, o chefe de equipe, Victhor Hugo Araújo e o Professor responsável - Alberto Diniz (meu orientador no mestrado!!) - não escondem a empolgação com mais esta empreitada dos alunos da UnB. Desde a chegada do carro, que ocorreu em agosto de 2009, o pessoal da APUAMA está totalmente comprometido com a competição, sendo a primeira equipe a receber seu bólido. Ainda em Junho, quando ocorreram os primeiros contatos entre a 63MKT, CBA e UnB, iniciaram-se as reuniões e movimentações para montar a equipe, captar recursos e também providenciar o transporte do carro até Brasília. Toda essa mobilização já mostra o comprometimento, profissionalismo (e rapidez) da APUAMA Racing. 

Vídeo reportagem sobre a equipe aqui .

Calendário
Em sua primeira temporada, o Fórmula Universitária terá 5 etapas. Além das etapas em Brasília neste fim de semana, o F-U vai correr também no novíssimo Velo Park em Porto Alegre (dias 31/07 e 01/08), em Curitiba (28/08 e 29/08), em Londrina (16/10 e 17/10) e a etapa mais esperada, em São Paulo dias 07 e 08/11 quando terá a honra de fazer a prévia do GP do Brasil de F1!
Opinião do F1-V8
Há muitos anos o automobilismo brasileiro tem sentido a carência de uma categoria intermediária  entre o kart e a F-3. E esse abismo foi o responsável por encerrar previamente a carreira de muitos pilotos talentosos que não tinham recursos para bancar os custos de correr a Formula-3 (em torno de R$600 mil/ano). Acriação da F-Universitária agora pode iniciar esse processo de revitalização do automobilismo brasileiro, que estava limitado à categorias caríssimas somente para pilotos já famosos e em declínio de carreira ou ricos excêntricos. 
Além disso, estimula a parceria Universidade-Automobilismo, que pode ser o início da geração de tecnologia automotiva aqui mesmo em nosso país. E também irá permitir aos jovens pilotos brasileiros a experiência de trabalhar com uma equipe multidisciplinar, facilitando sua adaptação ao jeito de trabalhar das principais categorias de acesso à F1, principalemente na Europa.
Aos meus amigos da APUAMA desejo sorte, garra e aprendizado! Certamente será um período importantíssimo e sairão desta empreitada prontos, não só para o automobilismo de competição, mas também para postos importantes no mercado de trabalho! Para mim é um orgulho ver a  equipe que ajudei a dar os primeiros passos alcançando voos tão altos! Contem sempre comigo e com o meu blog para divulgação das atividades (e vitórias futuras) da APUAMA!

3 comentários:

MARAVILHOSA! disse...

Fê, tem um selinho para você no meu blog!!!
Bjooo
Le

GiglioF1 disse...

Meninas,

Parabéns pela chamada de atenção...temos de construir a velocidade brasileira dos escalões mais baixos , e a super-V faz falta!!!...( Não é do seu tempo..mas...)
Temos de ajudar e voces estão fazendo isto...Passem lá nos pobres...haverão boas noticias para a velocidade brasileira!!

abraço do Giglio!!

Ron Groo disse...

Se não contratarem o Alonso e nem o Rubinho... Tem minha torcida.

Não vou desejar sorte porque acredito no talento. E isto eu sei que vocês tem.