sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Votem no Senna!

O jornal italiano Corriere Della Sera está fazendo uma enquete para saber quem foi o maior piloto de Fórmula1 de todos os tempos. Disputam o "título" Ayrton Senna, Juan Manuel Fanggio, Alain Prost e Michael Schumacher. Vamos votar no Ayrton e acabar com essa questão de vez, não é?

Para votar é só clicar aqui.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O futuro chegou!


Sebastian Vettel, alemão 23 anos de idade. Piloto de Fórmula 1. Nascido em Hoppenheim a 3 de julho de 1987. Ele era o futuro da Fórmula 1. ERA o futuro porque ontem em Abu Dhabi virou o PRESENTE tornando-se o campeão de 2010.
Este ano ele foi sem dúvida o piloto mais veloz do grid. Abocanhou 10 pole positions entre as 19 disputadas. Conquistou 5 vitórias. Mas ainda assim não havia conseguido a liderança do campeonato até o final da 55ª volta do GP disputado no Yas Marina. Na temporada, muitos altos e baixos, momentos brilhantes seguidos por trapalhadas catastróficas, como aquela em que ele se enroscou com Mark Webber e minou as chances de vitória da Red Bull no GP daTurquia. Burro? Trapalhão?  Roda presa? Ansioso? Sim, talvez todos esses adjetivos tenham sido adequados para classificar Vettel neste episódio e também em outros, como em Spa Francorchamps, quando tirou Button da corrida.
Mas outros adjetivos também cabem a Vettel. O Vettel arrojado, da pole position na Coréia. O Vettel preciso, do GP do Brasil. O Vettel corajoso, que enfrentou a má fase e não tremeu nas bases quando chegou para disputar com Fernando Alonso (um tanque de guerra emocional e de habilidade) o título na última corrida.
Sinceramente, eu já achava Vettel carta fora do baralho. Na minha sincera opinião, Alonso não deixaria esse tricampeonato escapar de jeito nenhum. Afinal, quando Fernando quer, ele consegue. Mas isso prova que a F1 apesar de um tanto surpreendente, ainda tem suas constantes. Alguém aí lembra-se de 2007? Alonso e Hamilton tinham os melhores carros nas mãos. Disputaram corrida a corrida a temporada inteira. Mas desde o GP de Spa Francorchamps um discreto Raikkonen começava a responder com vitórias e ofuscava a briga da McLaren. Entretanto, muitos já julgavam tarde demais para a recuperação de Raikkonen. O finlandês chegou à última corrida em Interlagos como azarão, em 3º lugar. Só um milagre poderia dar o título ao piloto da Ferrari. E operou-se o milagre! Com uma estratégia impecável da Ferrari, Raikkonen, que não sofria a pressão dos líderes, sagrou-se campeão.
O mesmo aconteceu com Vettel. Apesar de estar mais envolvido nos boatos e burburinhos que Raikkonen em 2007, o título do alemão parecia improvável. A disputa estava entre Alonso e Webber. E deu no que deu. Vettel fez a pole, o erro de estratégia da Ferrari e a falta de combatividade de Webber aliado à atuação impecável do alemão garantiram ao piloto da Red Bull a taça de 2010 e de quebra o recorde de piloto mais jovem a conquistar um campeonato de F1.
Venceu com certeza o melhor carro. O RB06 criado por Adrian Neway é uma obra de arte da engenharia. Carro bom, na mão do piloto, fácil de acertar. Um luxo só. Esse carro merecia ser campeão, independente de quem o pilotasse. Venceu também a "esportividade" da Red Bull que achou no jogo de equipe da Ferrari um nicho importante para atingir seu adversário. Vettel era claramente beneficiado pelas atualizações do modelo da Red Bull. Mas na pista o negócio correu à solta e Vettel e Webber foram liberados a fazer o que quisessem na pista. Inclusive se atingirem. Arriscado mas muito mais emocionante. Muito melhor de assistir. E eu sou torcedora, pouco me importa se os patrocinadores vão achar ruim ver seus dois carros se acertando nas chincanes dos circuitos por aí. Fosse o jogo de equipe, talvez a Red Bull já tivesse sido campeã antecipadamente e teríamos um campeonato muito chato. Se a RBR tivesse sucumbido à tentação da vitória fácil, Vettel teria sido obrigado a ajudar Webber e não seria o campeão. Palmas para a atitude da diretoria da Red Bull.
E agora? Resta a Vettel  comemorar sua grande conquista. Depois de um ano enfrentando uma luta mental duríssma com o companheiro de equipe, Vettel deve descansar. Mas não pode dormir no ponto se quiser ser multicampeão. Precisa tratar sua ansiedade. Os erros cometidos foram atribuídos equivocadamente à sua imaturidade. Porém é preciso assumir que Sebastian é uma pessoa ansiosa em pista principalmente em situações desfavoráveis. Quando larga na pole e corre sozinho, tudo acontece na maior tranquilidade. Mas quando tem que ultrapassar, disputar posição... o caldo entorna para o lado dele.
Mas por enquanto é hora de comemorar, a F1 tem um novíssimo campeão. Vamos aproveitar o final deste campeonato totalmente imprevisível e começar os palpites para 2011. Como vai ser a adaptação dos carros aos pneus Pirelli? Qual equipe conseguirá os melhores acertos com os novos pneus? Como vai ser a dança dos pilotos nas equipes? Como vai se comportar o agora campeão Vettel na próxima temporada? Fernando Alonso vai voltar mordido e com sede de vitória (e vingança)? Preocupações totalmente pertinentes, afinal, o futuro já chegou!
É, o mundo é bão, Sebastião!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

GP da Bélgica: McLaren Contra-Ataca

fonte: Gpupdate.net

Em Brasília estamos a quase cem dias sem ver uma gota de chuva cair do ceú... A umidade não passa dos 20% durante o dia e a temperatura tem batido os 32ºC. Coisas do deserto que o Centro-Oeste tem se transformado. Mas num Reino muito, muito distante a realidade é bem diferente. Chove praticamente todo dia, pincipalmente no final do verão. É assim que as coisas são na Bélgica, principalmente na região do lendário autódromo de Spa-Francorchamps, onde a F1 fez seu retorno das férias.
Agora partiremos para as sete corridas finais, provavelmente com o campeão só sendo confirmado ou no Brasil ou nos Emirados Árabes, as últimas etapas.
Enquanto isso, em Spa as equipes sofriam para encontrar o acerto dos carros. A chuva é certa, mas quando caírá? Isso atormentou muita gente e quem teve mais sorte no treino classificartório foi Mark Webber, que garantiu mais uma pole position momentos antes de uma chuva fina atrapalhar a vida dos concorrentes. Mas a sorte do australiano não foi tão duradoura... Logo na largada deixou sua Red Bull patinar e caiu da liderança para a mísera 7ª colocação. Como não poderia faltar uma errada geral, quase todo mundo saiu da pista na Bus Stop (molhada) ainda na primeira volta. Pior para Alonso e Barrichello, que se chocaram e o 300º GP do brasileiro terminou de forma melancólica logo na primeira volta. Depois o personagem de sempre: SC por duas voltas. E Hamilton firme e forte na liderança seguido por Button que começou a perder rendimento e logo foi literalmente encontrado por Vettel. Pior para o inglês que deu adeus à corrida. No mais, a chuva pregou várias peças em muita gente, obrigando os pilotos a fazerem trocas sucessivas de pneus e também provocou algumas saídas de pista (entre elas a de Hamilton, que ainda retornou na liderança). No final, o campeão de 2008 terminou na frente, seguido de Kubica e Webber. Massa conseguiu escapar das confusões e terminou na 4ª colocação. Agora, Hamilton é o líder, 3 pontos à frente de Webber. Com a burrice dominical, Vettel distanciou-se dos líderes e agora amarga 28 pontos atrás de seu companheiro de equipe. Vamos aos destaques

Pontos positivos:
Kubica: apareceu bem durante todo o fim de semana. Fez o terceiro tempo no treino classificaatório e conseguiu manter-se nas primeiras posições, mesmo tendo um carro claramente inferiror às Red Bull e McLaren. Corrida difícil é com ele mesmo!
McLaren: parece ter encontrado o acerto ideal. Não fosse o "atropelamento" de Button por Vettel, teria sido uma dobradinha britânica em Spa.
Sutil: Apareceu bem durante todo o fim de semana em Spa. Se mantiver a regularidade nos bons resultados, pode ser que aparece em um cockpit mais competente em 2011.

Marretadas
Webber: a fatídica largada pode ter lhe custado a liderança do campeonato. Claro que, em uma prova com chuvas aleatórias tudo pode acontecer, mas cair da liderança para a sétima colocação foi uma catástrofe. Ainda saiu muito no lucro chegando em 3º.
Alonso: Não teve sorte o fim de semana inteiro... SAbe aqueles 50% de chances que ele disse que tinha de conquistar o tri? Acho que não vai rolar, Fê.
Schumacher: tá triste de se ver... será que a vida de aposentado é tão ruim assim que é melhor ficar pasando vergonha em pista?

Troféu cata-tatu: Sebastian Vettel
Já demosntra que seus erros não são só por 'imaturidade" visto que Sebastian já acumula uma certa bagagem na F1. Então qual seria a causa para tanto destempero? Ansiedade? Problemas de ordem psicológica? Sexuais? A solução pode estar aqui, ó: (sem função de publicidade, por favor!)



Prêmio F1-V8: Lewis Hamilton
Coseguiu manter-se longe das confusões e fez uma corrida segura (apesar da saída da pista). Com a insistência da Red Bull em continuar favorecendo tecnicamente Vettel em detrimento de Webber, Hamilton aparece como grande favorito ao bicampeonato. Se a McLaren colaborar, ele chega lá.


Pergunta instigante: A Red Bull continuará favorecendo Sebastian "Afobado" Vettel?

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Vergonha Alheia : Felipe e o desodorante!

Estamos inaugurando hoje uma nova seção no nosso blog. É o vergonha alheia!! Sabemos que os pilotos da F1 são pratos cheios para a publicidade, devido a fama e exposição que tem. Os patrocinadores da categoria movimentam milhões de euros a cada evento e corrida! E óbvio, os pilotos são os garotos-propaganda de luxo!

Aposto que, não fossem os trocadinhos, eles não estariam lá... Porque como sabemos, o mundo está cheio de publicitários sem noção... Geralmente esses são os contratados para bolar as campanhas. Aqui vamos ter o prazer (ou desprazer) de ver as mais bizarras (não são poucas!!)

E pra começar, vamos ver uma campanha que você já deve ter visto na TV, afinal o produto é brasileiro e o piloto é Felipe Massa!(Ai, vergonha alheia nacional!!)



Pergunta cruel (porém necessária): Porque anúncio de desodorante masculino sempre rola "aquela" desotorantada no peito cabeludo??? Um doce pra quem descobrir!! ahhahahahahhahah

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

GP da Hungria: A volta dos rejeitados!

Crédito: www.gpupdate.com

Em uma semana tudo pode mudar na Fórmula 1. E olha que estamos falando de Hungaroring, onde as corridas são decididas praticamente no sábado, tendo em vista as enormes dificuldades de ultrapassagem em um circuito tão travado. Por isso mesmo muitos esperavam uma corrida cômoda para Sebastian Vettel, que voou na classificação e garantiu sua pole position. Também poderia-se esperar que a Ferrari, agora que parece ter encontrado o caminho das pedras no acerto do carro, iria ficar quietinha e tentar fazer o mundo automobilístico esquecer a marmelada do GP da Alemanha no domingo anterior. Naquela corrida, foi novamente explicitado na F1 que manda quem pode, obedece quem tem juízo e ganha quem é o primeiro piloto. Mas o desenrolar das coisas na Hungria parece sinalizar que nem tudo seria dessa forma.
Logo na largada, Vettel tratou logo de pular na ponta e mostar que pode fazer boas largadas, diferentemente da Alemanha, quando claramente morreu de medo de Alonso, tentou fechá-lo e acabou chupando o dedo com a 3ª posição. Pulou logo na frente e quando menos se esperava, já estava 10 s à frente de Alonso. Webber, se atrapalhou na largada e permaneceu na 3ª posição, seguido por Felipe Massa. Mas o grande protagonista da primeira parte da corrida, aquele que nos salvou de uma procissão de carro de F1 na Hungria, entrou em cena na volta 15 por causa (supostamente) de um pedaço de carenagem que estava na pista, que sinceramente, ninguém sabe de onde saiu. Sendo plantada na pista ou não, a verdade é que esse Safety Car mudou a história do GP. A maioria dos pilotos correu para os boxes, enquanto Mark Webber permaneceu em pista e acabou assumindo a liderança. Uma outra bagunça nos pits acabou fazendo com que o Safety Car voltasse para a pista. Nos pits, Kubica e Sutil se encontraram e Rosberg teve uma roda mal fixada, que acabou voando. Obviamente, essa situação não foi "plantada " como a anterior, mas também ajudou a escrever a história de um GP menos enfadonho. Após a saída do Safety Car, Vettel acabou sendo punido, por fazer os famigerados break tests (lembre-se de Hamilton, 2008) e acabou tendo que cumprir um drive through. Aproveitando a oportunidade, Mark Webber chinelou e mandou ver nas voltas seguintes, tudo para ir fazer a troca de pneus e voltar ainda em primeiro (sem o risco de voltar à frente de Vettel e correr o risco de escutar pelo rádio "Mark, Sebastian is FASTER THAN YOU). Enfim, o australiano fez o que pode, foi para os pits e voltou primeiríssimo, sem dar chance pro azar ou para o chefe da Red Bull. Webber venceu e garantiu a liderança da Red Bull no mundial de construtores, e também a sua retomada de liderança do capeonato dos pilotos, fazendo o papel de melhor segundo piloto dos últimos tempos. No pódio dava para perceber o realizado Webber em contraste com o enciumado Vettel que, apesar de ser o queridinho da Red Bull, vê o crescimento do australiano no campeonato e a possibilidade de ELE mesmo virar o 2º piloto de Webber. Mas ontem o australiano fez algo importantíssimo para a sua carreira. Fez voltas irrepreensíveis e mostrou que tem braço o suficiente para ser o grande nome de 2010. Ganhou respeito. Coisa que um 2º piloto que assume esta carapuça não tem. RESPEITO.
Respeito que Barrichello levou 8 anos para recuperar. Não que em sua jornada Ferrarista pudesse bater o todo poderoso Schumacher. Mas Barrichello foi cordato demais. Aceitou demais o jogo de equipe. Acatou demais às ordens da Ferrari. Cedeu demais para Michael Schumacher. Por isso não foi respeitado. E demorou muito tempo para recuperar a própria imagem. Ontem, a espremida que tomou de Schumacher esclarece muito as coisas. Foi uma manobra típica de quem não respeita o outro. E é difícil pensar que Schmacher fizesse o mesmo com qualquer outro piloto do grid, ele o fez com Barrichello porque não o respeita como piloto nem nunca o respeitou. Tomou a ultrapassagem e de quebra uma punição. Bem feito para ele, mas Barrichello não tem muito o que comemorar além da manobra bem feita. Sua integridade como piloto já foi muito maculada para que ele recupere o crédito aos 45 minutos do segundo tempo. O estrago em sua imagem já foi feito e mesmo mostrando qualidade em seu fim de carreira, dificilmente será reparado. 
Recado mandado para Felipe Massa, ainda dá tempo de recuperar sua imagem, porém ele já começa a vestir publicamente a carapuça de segundão.
Recado recebido por Mark Webbber, que rejeitya a todo custo a carapuça de capacho e tenta com unhas e dentes lutar para que o campeonato tenha a sua cara e não a de Vettel ou Hamilton.

Pontos fortes:
  • Ferrari: Voltou para o jogo. Tirando o papinho de jogo de equipe parece ter encontrado o caminho das pedras no acerto do carro e já começa a mostrar recuperação. Massa e Alonso já estão dizendo adeus ao pelotão do meião que vinham frequentando desde o início da temporada.
  • Pedaço solto na pista: Providencialmente plantado ou colocado no meio do circuito permitiu que a corrida não fosse uma procissão de luxo; Só faltou a FIA arranjar uma chuvinha;


Marretadas:
  • Mercedes: Esquecer de prender a roda é um crime, não um erro. Vamos lá, é só um parafuso prisioneiro! Se fosse meu golzinho, seriam 5! Qual a dificuldade?
  • Vettel: Cansei do papinho imaturidade! Tudo que Vettel faz é fruto de imaturidade? No no no, ele erra, como qualquer ser humano. Não por ser novo, mas por ter errado. Vai jogar o campeonato pela janela não pela pouca idade, mas pelos próprios erros. É o modus operandi dele e a lição que terá que aprender para ser campeão.


Troféu cata tatu: Michael Schumacher
Parece coisa de reencarnação. Foi para a glória, com 7 títulos, mas ainda haviam algu
ns pecados a pagar. Então voltou na forma de piloto comum, em uma equipe com jeitão de grande mas que é média. Pronto, começou o cumprimento do carma da vida passada. Apanha do Nico, sofre com o carro e é ultrapassado por todo mundo. Até pelo Rubinho. Vida tirana!

Prêmio F1-V8: Mark Webber
Largou  que nem uma pata choca e parecia sinalizar que vestiria a maldita carapuça do capachão. Mas reagiu, viu a oportunidade de permanecer mais na pista retardando o pit stop. Mesmo com pneus desgastados, manteve o carro na pista em um ritmo alucinante. Daí ele mesmo criou a sua vitória. Digna de um campeão e não de um capachão como a Red Bull insiste em tachá-lo!




Perguntas instigantes: "Será que a Ferrari será punida?
Será que a Red Bull vai continuar a insistir em rebaixar Webber?"

terça-feira, 27 de julho de 2010

O funcionário do mês

Dedico este post a quem a carapuça servir...

Quem vive o mundo do trabalho já topou com essa figura algum dia. O tal funcionário do mês. Desde o nascimento das novas formas de administrar pessoal e o advento das teorias de eficiência no local de trabalho e "premiações" para os bons funcionários essa figurinha tem se tornado mais e mais comum. 
O bom funcionário nunca chega atrasado, pelo contrário, chega meia hora antes de todo mundo, antes mesmo do pessoal da limpeza. Claro, em tempo hábil de encher o copo do chefe com água fresquinha! Quando você chegar, cinco minutos depois do horário porque ficou preso na fila pra bater o ponto, o funcionário do mês é o primeiro a dizer bem alto: "Boa tarde, fulano! Você quase perdeu o almoço!". 
O funcionário do mês está sempre com as tarefas em dia! Cumpre todos os seus afazeres e se você não tomar cuidado, vai cumprir as suas atribuições também. E depois disso, ainda vai fazer a maior propaganda para o chefe, mostrando resultados que poderiam muito bem ser seus!
O funcionário do mês sempre quer ter razão. Enche a boca para falar bem da empresa, defender o presidente, o supervisor, o coordenador, o chefe e quem mais estiver acima dele. E também enche a boca para falar mal ou ridicularizar quem está abaixo dele hierarquicamente. Não confie no funcionário do mês. Qualquer palavra dita fora de hora pode se virar contra você. Tudo pelo bem do time!
E falta o principal, o funcionário padrão sempre está lá, pronto para ajudar! Prestatividade é o nome dele! Ele tira dúvidas, ele preenche relatórios, ele faz as tarefas que ninguém quer fazer, ele fica depois do horário sem cobrar a hora-extra, ele trabalha no feriado sem reclamar, ele reserva hotel para os outros nas viagens coorporativas, ele nunca reclama de nada, tudo está sempre ótimo e ele está sempre se sacrificando pelo bem da empresa, pelo bem de todos! Um verdadeiro herói!.
Mas o principal pecado do funcionário do mês é não olhar para os lados. Sempre haverá alguém que com menos esforço e chateação irá fazer as tarefas com mais eficiência que ele, vai ter idéias mais brilhantes que as dele e vai ser mais respeitado pelos companheiros de trabalho. O funcionário do mês raramente vai ser o líder, a cabeça pensante, a pessoa que decide, a cara da empresa. Seus sacrifícios não serão observados pela presidência e também não lhe trarão nenhuma espécie de retorno (além de meia dúzia de tapinhas nas costas). 
Enfim, o funcionário do mês não passa de um babaca, com pouquíssima personalidade, que tem seus arroubos de prestatividade com o intuito de um dia, quem sabe, chegar lá, devido sua competência (excessiva), sua pró-atividade (excessiva), sua dedicação (excessiva). 
O funcionário do mês nunca vai chegar em lugar algum. 
Por favor, pelo bem de sua carreira, não seja funcionário do mês NUNCA! 

domingo, 25 de julho de 2010

GP da Alemanha: Ele voltou!!!!

É, ele está de volta!!!! E veio com tudo, decidindo corrida! Ah, nananinanão, não é o Alonso ao nº1 do pódio, é ele, o mais decisivo em pista, o sujíssimo JOGO DE EQUIPE! A Ferrari esqueceu essa safadeza nos tempos da dupla Raikkonen e Massa (ai, que saudade do Raikkonen) e só utilizou a tática quando ela realmente é justificável, na corrida decisiva para o título. 
crédito: Portal Terra
Mas hoje, aproveitando as terras alemãs, a inspiração dos tempos de Schumacher voltaram à tona. E num fim de semana em que a Ferrari tinha tudo para sair de Hockenheim elogiada, prestigiada, de volta à primeira fila e às vitórias. Os treinos de sexta e sábado já indicavam: A equipe italiana não vinha pra brincadeira. Fizeram ótimos tempos e só perderam a pole position porque Vettel tirou 2 milésimos de segundo da cartola e conseguiu faturar a ponta. E na largada, deu pra perceber que o alemão da Red Bull estava se "borrando" de medo de Alonso, visto seu desespero para fechar o espanhol na largada. Aproveitando a paisagem livre à frente, Massa acelerou, tracionou fora da pista e numa manobra brilhante (o que foi bem incomum neste ano) acabou ficando com a ponta. A briga estava boa, pois Alonso e Massa faziam volta mais rápida atrás de volta mais rápida. Certamente assistiríamos a uma disputa eletrizante pela ponta. ASSSISTIRÍAMOS. Pois na volta 47 a comunicação de rádio deixou bastante claro. Felipe teria que abrir para Fernando Alonso. E o fez. Descaradamente. E a FIA, aproveitando a chance para se vingar do chororô contínuo de Alonso nas últimas corridas, colocou, propositadamente, toda a comunicação equipe -pilotos da Ferrari no ar. Ou seja, descaramento total, jogo de equipe para todo mundo ver e ouvir. 

O pior é que todos saíram perdendo. Massa, que consquistou a ponta justamente e não teve mais chances de lutar pela ponta, Alonso, que tinha um ótimo carro e poderia nos presentear com uma bela atuação, a Ferrari que sairia da Alemanha com a dobradinha e esfregando a vitória na cara da Red Bull e da McLaren e nós que perdemos a chance de ver uma disputa em pista pela liderança da prova. Agora, até a dobradinha está sub judice, já que a FIA não homologou o resultado da prova e já multou a Ferrari por atitude anti-desportiva. Agora, as suas rivais McLaren e Red Bull continuam rindo da cara dos italianos, pois além de serem líderes do mundial de construtores com folga, elas mesmas já tiveram a chance de fazer o tal jogo de equipe e não o fizeram, arriscando inclusive a vitória, como foi o caso do enrosco Vettel x Webber na Espanha. 

O que resta agora à FIA é punir a Ferrari esportivamente, já que atitude como a de hoje mancham o nome da categoria e não tem nenhum fundamento ou explicação. E também pagar um psicólogo para Fernando Alonso, que vestiu de vez a carapuça do garoto-cinderela e parece querer manipular a Ferrari para trabalhar só para ele. Acho justo que isto ocorra, mas antes de exigir este tipo de tratamento é necessário ter bons resultados. E até agora Alonso ainda não mostrou a que veio na Ferrari em 2010. 


Vendo isso tudo de longe, lá da liderança da tabela de pilotos está Lewis Hamilton. Que deve estar pelando de rir de Alonso que está precisando mendigar atenção para conseguir uma mísera vitória.

Pensamento de Felipe Massa: "Ai, que saudade do Raikkonen!"

domingo, 27 de junho de 2010

GP da Europa: Procissão Valenciana

crédito: GettyImages

Está certo que McLaren e Red Bull são as favoritas para o título e que definitivamente tem os melhores carros. E em um circuito sem pontos de ultrapassagem, já esperava-se que o vencedor saisse entre os 4 pilotos, mesmo com o bom rendimento de Alonso e sua Ferrari nos treinos livres. Mas no sábado, não houveram surpresas. Vettel garantiu a pole, à frrente de seu companheiro de equipe, Webber.
A procissão corrida, começou sem grnades incidentes, o fato mais importante foi a perda vertiginosa de posições de Mark Webber, que pagou por escolher o lado de fora da pista para ganhar posições. Enquanto isso, Vettel assumia folgadamente a liderança, seguido por Hamilton, mas logo o alemão abriu vantagem e a manteve até o fim. Verdadeiramente, o único fato que deu uma mexida nas posições foi o acidente escabroso de Webber com Kovalainen, que ainda bem, foi muito mais assustador que grave (assista ao acidente aqui). Com isso,  Safety Car entrou na pista e muita gente aproveitou para ir aos pits e minimizar a perda de tempo nas trocas de pneus. O que acabou virando um tiro no pé... afinal, agora nada menos que 8 carros estão sob investigação e uma decisão da FIA pode mudar e muito o resultado final da corrida... Pelo menos, a vitória de Vettel está garantida. Hamilton e Button completaram o pódio. Com o resultado das 9 punições (Button, Barrichello,  Kubica, Sutil, Buemi, de la Rosa, Petrov e Liuzzi), Alonso herdou o lugar de Buemi e ficou na 8ª coolocação e Rosberg herdou as posições de de la Rosa e Petrov e abocanhou o 10º lugar. Mesmo depois da vitória de Vettel, Hamilton continua lidedrando o Mundial de Pilotos, 6 pontos à frente de Button. Vettel pulou de 5º para a 3ª posição, com 115 pontos. Agora, os destaques!

Pontos fortes
  • Ex-pilotos fiscais: Louvável atitude da FIA em colocar ex-pilotos como auxiliares diretos do Charles Whiting. Nada como a visão de quem já esteve lá dentro, para uma análise mais justas dos quiproquos que acontecem em pista... só é ruim para o Schumacher, que já teve 2 arquiinimigos como fiscais!
  • Williams e Barrichello: O 4º lugar foi apenas o final de um bom fim de semana para a Williams. Ontem, tanto Barrichello quanto Hulkenberg passaram para o Q3 e largaram em boas posições. Não fosse o superaquecimento no carro do alemão, os dois carros teriam terminado bem. E Barrichello quase foi para o pódio (se Button for punido, ele herda a 3ª posição).
  • Sutil: mostrou vários lances de habilidade e dá um banho em Liuzzi, seu companheiro de equipe. Já está merecendo um carro de ponta, para vermos se esse talento todo sobrevive ao peso de uma grande equipe.
  • Vettel: venceu de ponta a ponta e nem apareceu! Dizem que corrida boa pra piloto é assim. Ele nem aparece nas imagens!
Marretadas
  • Circuito: tá, o circuito é muito lindo e eu fico morrendo de inveja das barangas flácidas vestidas em biquinis horrorosos que assistem à corrida tomando Red Bull naquela piscina... Mas não ter ponto de ultrapassagem é um convite para a procissão de luxo, sem ultrapassagem, sem emoção... Saudades de Nurburgring (que agora reveza o GP da Alemanha com Hockenheim).
  • 107%: Já está na hora de termos essa conversa... Passou da hora de implementar a regra dos 107% na F1. Sei que pode  prejucar diretamente 2 brasileiros, mas em um circuito apertado e sem pontos de ultrapassagem como Valência, os carros mais lentos são verdadeiras chincanes ambulantes e oferecem perigo aos carros com performance melhor. Infelizmente Hispania, Lotus e Virgin não tem condições técnicas de estar na F1 hoje.
  • Quiproquo:  Hamilton adiantou-se ao Safety Car... Alonso viu... Ferrari reclamou, Hamilton ganhou drive-through... cumpriu mas ainda voltou em 2º... Chororô de Alonso. Picaretagem de Hamilton... Ainda tenho que consultar meu regulamento. Mas mal entendidos sempre são ruins, pois colocam em xeque a credibilidade dos fiscais e da FIA em relação aos resultados.
Prêmio F1-V8: Kobayashi
Honrando o nome dos pilotos japoneses da F1. Kobayashi é disparado o melhor piloto nipônico na categoria. Ganhou muitas posições aproveitando-se da entrada do Safety Car. Passou mais de 40 voltas com penus duros, sem patinar, reclamar ou perder rendimento segurando a 3ª posição. No final, após a troca de pneus, voltou em 9º mas ainda teve fôlego para virar o Jiraya e passar Alonso e Buemi na última volta! Merece nossa atenção e mais que isso, nosso respeito! Melhor piloto do domingo, sem dúvida!


Perguntas Instigantes: De quem foi a culpa? Webber ou Kovalainen?

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Machismo no globoesporte.com

Vamos interromper um pouquinho o nosso assunto favorito, para abrir um espaço para a minha revolta. Estava eu no meu twitter quando vi a indignação de várias meninas sobre uma matéria publicada no site globoesporte.com. Tratava-se de um guia de COMPORTAMENTO para mulheres na Copa feito pela jornalista (?) Roberta Setimi. O seu conteúdo é totalmente revoltante, eu diria até, nojento. (veja o guia aqui).

Nele estão descritos não a lista dos jogadores mais belos, ou qualquer outro dado relevante para o torneio como horário dos jogos, divisão dos grupos, notícias sobre o estado físico dos jogadores da seleção brasileira e de outras seleções. Como o próprio nome diz, é um guia para o COMPORTAMENTO da mulher durante os jogos. Lá estão descritos absurdos como "se você tiver a impressão de que existem mais 'homenzinhos' de uma cor que de outra provavelmente este time estará jogando melhor" e também essa pérola aqui sobre impedimentos "(...) Uma técnica nesse caso é concordar com o pai, o namorado ou o marido." A facada sobre o comportamento feminino vem no finazinho do guia "Reclame bastante do juiz, faz parte. Mas não demais da conta. Menina é mais contida (ou devia ser)." 

Fico imaginando de que buraco provinciano saiu esta tal de Roberta Setimi. Como será que ela foi educada? Pelo visto, não foi alfabetizada apenas para ler histórias para os filhos e receitas de bolo para encher a pança do marido tendo em vista que trabalha em um site do porte do Globo.com. Na minha opinião é um absurdo que um jornalista de um site importante sobre esportes tenha esta visão das brasileiras que acompanham não só o futebol, mas também o automobilismo, o vôlei, o basquete e tantos outros esportes! Neste pequeno guia vi estampado uma infinidade de preconceitos e visões estereotipadas da mulher, um absurdo para os tempos de hoje. Inaceitável também é a atitude de quem deixou um lixo desses ser publicado. Um guia COMPORTAMENTAL para a mulher do século XXI dizendo o que devemos fazer, falar, comentar e principalmente que devemos PENSAR seguindo a cabeça dos cavalheiros ao nosso redor é uma ofensa gravíssima. Não aceito, não fico calada e acho que todas deveriam fazer o mesmo!

Não podemos ficar caladas (os) diante de alguém que quer passar para frente a idéia de que as mulheres jamais entederão de futebol (um pecado, afinal somos ou não a PÁTRIA de chuteiras, incluindo homens e mulheres!) e também que considera que as tarefas mais importantes das mulheres são "falar ao telefone com a amiga e assistir à novela"? O pior de tudo é que foi escrito por uma mulher, o que comprova em parte a minha teoria de que boa parte do sexismo que se tem por aí é perpetuado pelas próprias mulheres. Só digo uma coisa à senhora Roberta Setimi: Nós não somos as princesonas lobotomizadas que ela pensa que somos. Nossa realidade é bem diferente. Somos engenheiras, designers, nutricionistas, administradoras, arquitetas, fisioterapeutas, advogadas, psicólogas. Somos até pilotas! Ganhamos nosso dinheiro, trabalhamos e vamos parar tudo para assistir aos jogos da Copa, tomando uma cerveja gelada, tocando vuvuzelas, xingando os árbitros, discutindo os jogos com nossos pais, namorados, amigos de trabalho, mães, sogras irmãs e amigas... Somos muito mais e muito melhores do que você e sua visão chauvinista e provinciana de mundo pensam...

segunda-feira, 31 de maio de 2010

GP da Turquia: Red Bull Disaster!

crédito: Terra

Depois de mais um sábado de glórias, no qual Mark Webber mais uma vez conquistou a pole position com uma mão nas costas praticamente, esperava-se um GP da Turquia mais chato tranquilo apesar da expectativa de que a curva 8 (temidíssima) pudesse criar algum tipo de problemas. E, é claro, também esperava-se que as McLarens, que mostraram um ótimo desempenho na pista turca durante os treinos, pudessem jogar água no churrasco do piloto australiano, líder do campeonato. Sem as Ferraris na jogada, o duelo pelas primeiras posições ficaria mesmo nas mãos de Webber, Hamilton, Button e Vettel.

Largada sem grandes problemas e a corrida seguia numa pasmaceira só sem grandes incidentes exceto pela expectativa de chuva e também pelas cutucadas de Hamilton e Webber, que não deixou o australiano abrir de jeito nenhum. Mas os holofotes também devem ser voltados para o pelotão intermediário, afinal não é só de 2 filas que um grid da F1 é feito. Lá na galera do meião, Petrov e Alguersuari faziam excelentes corridas, mesmo sendo pressionados (e pressionando também) Fernando Alonso, que não conseguiu descolar nada melhor que uma 12ª posição para largada. Alguersuari chegou, inclusive, a fazer a melhor volta da prova, o que reforça a idéia que ele, Petrov e Kobayashi são talentos a serem monitorados, em todas as corridas eles conseguem tirar um coelho da cartola e mostrar talento!

Mas tudo mudou quando Vettel e Webber se enrolaram na disputa pela liderança. E também com a possibilidade de chuva (que não chegou a acontecer). Daí iniciou-se a procura por novas possibilidades para o resultado da corrida. Webber, mesmo avariado conseguiu ainda cruzar a linha de chegada em 3º, sem oferecer perigo à dobradinha da McLaren, com Hamilton e Button. A superioridade dos 4 carros era tanta que houve tempo de Webber chocar-se com Vettel, sair da pista, entrar nos pits para trocar o bico do carro e ainda assim voltar à frente de Schumacher. Uma prova de que começamos a ver um domínio técnico de 2 equipes que já demonstram grande superioridade em relação às demais... E Webber cada vez mais feliz e contente na liderança do campeonato... Vejamos o que nos aguarda em Montréal, a próxima etapa...

Marretadas
Ferrari - perdeu o ponto e desandou de vez na Turquia. Hoje não conseguiu fazer frente nem à Renault. Já está comendo poeira da McLaren e Mercedes. Da Red Bull nem se fala...
Red Bull - sem dúvida alguma é o melhor carro na pista hoje na F1. Mas precisa aprender a lição mais dolorosa. Se é difícil fazer um grande carro, administrar seus talentos é mais difícil ainda. Não que sejamos a favor do jogo de equipe, mas Christian Horner não foi líder o suficiente para orientar os pilotos via rádio quando Vettel aproximou-se de Webber para disputar a liderança... Poderia ter gritado um "Easy, easy" para eles. Não o fez e deu no que deu...
Galera do meião - Teve um povo que não saiu do meião Rosberg, Kubica e Massa, lá largaram lá ficaram...  Mereciam passar um tempo no limbo onde Lotus, Hispania e Virgin se degladeiam para saber o que é bom pra tosse...

Pontos positivos
McLaren - Mostrou evolução no seu carro (que já era bom). Parece que as bobagens cometidas em Mônaco (como matar sufocado o motor do carro de Button) foram superadas. Agora, com o desastre da Red Bull, que conseguiu perder 43 pontos em uma curva, a McLaren já encosta na franco favorita além de já ter despachado a Ferrari para terceiro.
Alguersuari / Petrov - estão roubando a cena do pessoal do pelotão dianteiro, que às vezes se esquece de disputar a prova e fica só na administração de corrida. 
Hamilton x Button - quem disse que com pista seca e valendo a liderança não pode ter briga? Os dois disputaram de forma limpa, sem baixaria (apesar de um roda-roda que rolou)... Pra quem não viu, segue o vídeo (em idioma ainda não identificado)... As imagens valem mais que qualquer explicação!
Toféu cata-tatu: Vettel
Entrando na onda do Twitter, a brincadeira é a seguinte: Vettel misturou Actívia com Red Bull e cagou  defecou (hahahahha) no Webber! Simples assim... única explicação. Esse negócio de ficar dizendo que foi a imaturidade, já tá meio passado... Tudo que o Vettel faz é culpa da imaturidade dele... dessa vez a culpa foi da misturinha Activia + Red Bull... (única explicação plausível). O melhor foram as demonstrações de companheirismo e amizade de Button e Hamilton no pódio. Tá certo que eles ficaram felizes pela dobradinha, mas rolou uma "esfregada de teamwork" explícita na cara da Red Bull e de Webber... Nada melhor que ver a grama do vizinho pegando fogo, não?

Prêmio F1-V8: Mark Webber
Recebe o prêmio principalmente pelas corridas anteriores em que o australiano reinou absoluto. Mas todos vão dizer, ele não é talentoso, ele isso, ele aquilo. Confesso que Mark Webber não é aquele piloto e encher os olhos, com manobras incríveis e demonstrações escandalosas de talento. Mas nos dias atuais, a melhor dupla equipamento - piloto é a Red Bull - Webber. E vamos combinar que é uma coisa bonita de se ver o piloto que se dá bem com o carro, quando há sincronicidade entre os dois. Ainda não temos opinião formada sobre a capacidade de Webber em carregar a liderança até ser campeão. Mas por enquanto, a coisa está dando certo (apesar do Actívia).

Perguntas Instigantes: "Schumacher chegou em 4º na Turquia. Será que ele vai vencer alguma corrida esse ano?"
"E o clima na Red Bull? Panos quentes ou pancadaria (com direito a troco e baixaria) à vista?"

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A gente chega lá: Fórmula Universitária

Como os pilotos chegam à F1 todos sabem. Anos no kart, depois as categorias de monopostos. Daí em diante, carros mais potentes até a principal categoria do automobilismo. Mas como chegam lá os profissionais responsáveis pelos carros? Engenheiros de diversas áreas e outros  profissionais sem os quais nem F1 nem seus grandes pilotos existiriam? 

Uma resposta são as categorias escola existentes atualmente em vários países, incluindo o Brasil. E em 2009, surgiu a idéia de criar uma categoria universitária de automobilismo, que teria como objetivo formar profissionais para trabalhar nas principais categorias automobilísticas do Brasil (e quem sabe F1 ou FIndy) além de oferecer oportunidade para que pilotos recém-saídos do kart pudessem experimentar a sensação de pilotar um monoposto e ter uma equipe multidisciplinar ao seu lado, assim como acontece na F1. Daí nasceu o Fórmula Universitária, que seria um evento de apoio à F3 Sulamericana e envolveria equipes de Universidades brasileiras. Na UnB formou-se a APUAMA Racing derivada da equipe de F-SAE com mesmo nome (da qual participei em 2005). 
A idéia da empresa MKT63 é audaciosa. Equipes multidisciplinares (envolvendo diferentes departamentos da universidade: engenharias, psicologia, jornalismo, desenho industrial e até mesmo música) que vão 5 etapas durante a temporada. Para isso, a CBA ofereceu os carros às equipes. Os bólidos são iguais, têm chassis fabicados na argentina e utilizam pneus radiais (para carros de rua). Para manter a disputa mais justa, não há kit asa, ou seja, sem aparatos aerodinâmicos. O motor é do GM Corsa 1.6l a gasolina. Tudo isso para que as 12 equipes disputem em pé de igualdade a temporada da F-Universitária. E os alunos terão muito trabalho. Eles mesmos farão os ajustes nos carros, serão responsáveis pelos "press releases", transporte, alimentação, decisões de pista, alterações no carro, interpretação do regulamento técnico, preparação física do piloto... um desafio enorme pela frente!


Equipe APUAMA
 credito: Superesportes

Com o nome em Tupi que significa veloz, a APUAMA vai entrar na F-Universitária com sua experiência anterior da F-SAE. Entretanto, agora os alunos da Engenharia Mecânica ganharam mais colaboradores. São estudantes de engenharia automotiva, engenharia de software, psicologia, jornalismo, nutrição, educação física, música, direito e desenho industrial. E não vão ter moleza. Mesmo com um calendário de competições apertado e horas de trabalho de desenvolvimento do carro e da equipe, terão que dar conta também das matérias da Universidade. Mas estão todos muito animados e já não conseguem esconder a expectativa pela primeira prova de exibição que será realizada no próximo domingo, juntamente com a etapa de Brasília da F-3. Desde a chegada do carro os alunos estão mobilizados e correndo contra o tempo para deixá-lo pronto para correr e também estruturar a equipe. 
O piloto da APUAMA será Raphael Sá de 17 anos que fará sua estréia nos monopostos após anos de uma carreira consistente no kart. Além dele, o chefe de equipe, Victhor Hugo Araújo e o Professor responsável - Alberto Diniz (meu orientador no mestrado!!) - não escondem a empolgação com mais esta empreitada dos alunos da UnB. Desde a chegada do carro, que ocorreu em agosto de 2009, o pessoal da APUAMA está totalmente comprometido com a competição, sendo a primeira equipe a receber seu bólido. Ainda em Junho, quando ocorreram os primeiros contatos entre a 63MKT, CBA e UnB, iniciaram-se as reuniões e movimentações para montar a equipe, captar recursos e também providenciar o transporte do carro até Brasília. Toda essa mobilização já mostra o comprometimento, profissionalismo (e rapidez) da APUAMA Racing. 

Vídeo reportagem sobre a equipe aqui .

Calendário
Em sua primeira temporada, o Fórmula Universitária terá 5 etapas. Além das etapas em Brasília neste fim de semana, o F-U vai correr também no novíssimo Velo Park em Porto Alegre (dias 31/07 e 01/08), em Curitiba (28/08 e 29/08), em Londrina (16/10 e 17/10) e a etapa mais esperada, em São Paulo dias 07 e 08/11 quando terá a honra de fazer a prévia do GP do Brasil de F1!
Opinião do F1-V8
Há muitos anos o automobilismo brasileiro tem sentido a carência de uma categoria intermediária  entre o kart e a F-3. E esse abismo foi o responsável por encerrar previamente a carreira de muitos pilotos talentosos que não tinham recursos para bancar os custos de correr a Formula-3 (em torno de R$600 mil/ano). Acriação da F-Universitária agora pode iniciar esse processo de revitalização do automobilismo brasileiro, que estava limitado à categorias caríssimas somente para pilotos já famosos e em declínio de carreira ou ricos excêntricos. 
Além disso, estimula a parceria Universidade-Automobilismo, que pode ser o início da geração de tecnologia automotiva aqui mesmo em nosso país. E também irá permitir aos jovens pilotos brasileiros a experiência de trabalhar com uma equipe multidisciplinar, facilitando sua adaptação ao jeito de trabalhar das principais categorias de acesso à F1, principalemente na Europa.
Aos meus amigos da APUAMA desejo sorte, garra e aprendizado! Certamente será um período importantíssimo e sairão desta empreitada prontos, não só para o automobilismo de competição, mas também para postos importantes no mercado de trabalho! Para mim é um orgulho ver a  equipe que ajudei a dar os primeiros passos alcançando voos tão altos! Contem sempre comigo e com o meu blog para divulgação das atividades (e vitórias futuras) da APUAMA!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Grand Prix du Monaco

Mônaco é Mônaco. Para uns uma chatice sem fim, para outros uma pista histórica, um marco no automobilismo. Opiniões à parte, a importância do GP de Mônaco para o automobilismo é um fato. Para homenagear esta corrida tão importante, mais antiga que a F1 propriamente dita, reunimos uma seleção de posters da corrida, verdadeiras relíquias vintage das artes gráficas!

domingo, 9 de maio de 2010

Domingo x Concurso

Hoje além de dia das Mães (parabéns para a nossa amada mamãe e para as mamães leitoras), foi dia de concurso público... Eu, Fernanda, acho um verdadeiro desrespeito esse negócio de concurso em pleno dia das mães e no mesmo horário do GP da Espanha (nem pra começar às 8 hrs para tentar sair na hora da largada. O horário de início era o mesmo da largada). Então, como esse povo além de sem-mãe é herege, marcaram o concurso para hoje e fui arrastada para fazê-lo. Por isso, ainda estou assistindo aos vídeos da corrida então nossa publicação ficará para amanhã!





 Então, A bientôt!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Fofuras automobilísticas!

Como alguns sabem, sábado, dia 24 de abril, foi o meu dia!!!!!!
E claro, quem presenteia fã de automobilismo sempre tem boas idéias!Ganhei presentes fofíssimos dos meus queridos, mas duas lembrancinhas em especial me conquistaram !!
Gi fez um cartão com uma ilustração daqueles GPs antigos de Mônaco, da Era pré-F1... Nem precisa dizer que ADOREI, né? Super vintage!


Também ganhei uns chocolatinhos adoráveis da minha amiga Ana Luísa (futura aerodinamicista da F1, podem anotar o nome dela!). Eles não são simplesmente lindos? A-M-E-I !

A Gi tratou de produzir essas fotos com eles! Agora só dá uma pena danada de comê-los!

Quem disse que automobilismo não pode ser fofo? hehehe

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Anatomia: Desvendando o F-Duct

Alguém mais atento deve ter percebido que há um buraco na parte frontal do carro da McLaren. Pois é, não é defeito de fabricação. Nada na F1 é por acaso! O nome do danado do buraquinho é "F-Duct", por favor, nada a ver com buraco de Fernando Alonso, Felipe Massa e principalmente meu, Fernanda! A razão do F eu não sei, mas sabe-se que surgiu com a inocente justificativa de que serviria para "refrescar" os pilotos dentro do cockpit. Ah, tá, conta outra, né? Desde quando alguém se preocupa com conforto térmico de piloto?
Bom, brincadeiras à parte, o F-duct representou um pulo do gato da McLaren no regulamento. Com a proibição de aletas, e outras partes móveis para direcionamento de ar, os aerodinamicistas de lá conseguiram achar uma solução diferenciada. Esse buraquinho, que nada mais é que uma entrada de ar dianteira, conduz esse ar até a asa traseira. Sim, tem um duto ligando isso tudo por dentro.

Olha o F-Duct aí, na cara do Lewis!

Mas e qual e função dele?
Além de supostamente "refrescar" Jenson e Lewis, o F-duct serve para provocar o estol (stall) da asa traseira. O jato de ar acaba estolando a asa traseira e consequentemente diminui o downforce (no caso, ocupa o lugar da sustentação). O efeito prático disto é que o carro fica muito mais veloz em retas, pois ao estolar a asa traseira, diminui-se além do downforce, o coeficiente de arrasto. 

Para a coisa não ficar tão técnica e para que todos possam entender, vamos a uma aula básica de aerodinâmica de carros de corrida (ai ai, preciso lembrar das aulas de Aerodinâmica da universidade). O perfil da asa traseira de um carro de F1 é assim (é só virar de cabeça para baixo que temos o do avião).



O ar passa pelo aerofólio. O que corre por cima percorre um caminho menor que a porção de ar que corre por baixo, combinado? Então essa diferença de percurso gera uma diferença de velocidade. A turma obrigada a correr por baixo da asa tem que ser mais veloz que a galera que corre por cima. Isso gera uma diferença de pressão, ou seja, há uma queda de pressão na parte de baixo do aerofólio (tecnicamente, extradorso). Essa diferença de pressão gera uma força resultante, o downforce (ou sustentação negativa) que será responsável por colar o carro de F1 no chão. Outra força também é gerada neste momento, se chama arrasto e é uma reação ao deslocamento do ar pelo corpo. A grosso modo, o arrasto vai tentar puxar o carro para trás.
Assim, já podemos explicar um fenômeno aerodinâmico importantíssimo. O tal do stall. Quando o nosso aerofólio está submetido ao escoamento, pode ocorrer uma mudança no ângulo deste perfil (ângulo de ataque). Quando este ângulo passa de um valor crítico (aproximadamente 15º) ocorre o stall, que nada mais é que a perda brusca da sustentação (downforce) em razão da separação do escoamento que contorna o aerofólio. Quem tem medo de avião e reza para ele não cair, pode rezar assim: Papai do Céu, que as asas do meu aviãozinho não estollem! Porque avião que estola, corre risco sério de cair!
Mas na F1 as coisas são bem diferentes. Os engenheiros sempre souberam que para fazer o carro render mais em reta era necessário diminuir downforce e arrasto. Coisas que seriam simples, se eles pudessem trabalhar com asas traseiras flexíveis. Mas, como isso é pecado capital proibidíssimo pelo regulamento, o jeito foi dar outro jeito. Daí veio o F-duct, muito bem bolado pelo pessoal da McLaren!
O ar passa pelo conduto, chega à asa traseira com uma incidência em ângulo crítico, provoca o stall o que reduz muito o downforce e também joga o arrasto lá embaixo. Dizem que essa jogada de mestre permite um ganho de velocidade significante nas retas. Toda essa traquitana pode ser controlada pelo piloto de dentro do cockpit, que com apenas uma joelhada fecha a admissão de ar do F-Duct. 

Saída do F-Duct, direto na asa traseira.

Lendo o regulamento 2010, vemos que a novidade não transgride nenhum item sobre aerodinâmica  e com os bons resultados de Button e Hamilton, muita gente já está no túnel de vento estudando para copiar a novidade em seus próprios modelos!
Galera da AERO da McLaren, mandaram bem! Adorei o F-Duct!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

GP da China: A F1 tem um novo líder!

Todos já esperavam uma corrida bem monótona na China. Aquela pista larga, com grandes áreas de escape, perfeita para um carrossel de carros de F1. Porém, mais uma vez, fomos surpreendidos! Ultrapassagens, vários pit stops, disputas acirradíssimas, tudo temperado com uma chuva que ía e vinha, obrigando os pilotos a fazerem vários pit stops.
E o imprevisto começou logo na largada. Todo mundo alinhado no grid, olhando para cima e se perguntando chove ou não chove? E agora José, com que pneu eu largo? Todo mundo optou por usar os slicks e guardar os intermediários para o caso da chuva apertar. O que não demorou muito, pois logo nas primeiras voltas a chuva apareceu e todo mundo migrou para os pits. Mas antes disso, a primeira polêmica do dia. Alonso queimou ou não a largada? Até que no início deu uma certa dúvida, afinal, Vettel dormiu mesmo no sinal vermelho... Mas só se o Fernandão tivesse um tempo de reação descomunal para largar daquele jeito... acabou levando um drive through. 
A partir daí foi um show de ultrapassagens e não só nas posições finais não!! O pelotão da frente também se mexia muito, obviamente que essa movimentação toda ocorreu principalente pelo troca troca de pneus por causa da chuva que ia e vinha o tempo todo. Mas mesmo assim, o pessoal colocou a faca nos dentes. Nada desse negócio de pensar em garantir pontos, não rachar curva, ajudar o companheiro de equipe. Até gente se pegando na porta dos pits e lá dentro também... mais sangue no olho impossível, Graças a Deus!

Mas no final acabou dando McLaren, com Button e Hamilton nas duas primeiras colocações. Agora, o campeão de 2009 é o líder da temporada. Rosberg demonstrou que a Mercedes está chegando devagarinho, mas está pronta para o bote. Com o 3º lugar de hoje, o alemão, além de dar uma rasteira no todopoderoso Schumacher, já é o vice-lider do mundial, ultrapassando Massa, Vettel e outros que estavam na frente até a semana passada. Em 2010, não dá para bobear! Um tropeço e todo mundo te passa na classificação!

créditos: gpupdate.net
Pontos positivos
  • Nico Rosberg: demonstra que não tem mesmo medo de Michael Schumacher, tendo superado o heptacampeão sistematicamente desde a primeira corrida. Hoje, pilotou de forma consistente e começa a demosntrar que a Mercedes poderá vencer corridas;
  • Lewis Hamilton: Esse desvairio do Hamilton nas corridas tem sido muito interessante... Mas na China ele esteve menos azedo e continuou arrojado. Resultado? Envolveu-se em menos confusões e travou belos duelos, o melhor contra M. Schumacher. Tem sido bom vê-lo pilotar este ano.
  • Buraco da McLaren: Não é que ele faz efeito mesmo?
  • Vitaly Petrov : primeiros pontos da Rússia na F1! Parabéns para ele!
Marretadas
  • Asfalto: Na sexta feira muitos pilotos reclamaram da pista. Haviam muitos bumps e a aderência era mínima. Esperávamos mais cuidado com a pista! Se fosse no Brasil brasileiro, ai ai ai.
  • M Schumacher: tem amargado resultados inexpressivos e é evidente sua insatisfação. Será que o retorno foi uma boa idéia?
  • Ferrari: Um motor estourado na 6ª, carros bem mais ou menos hoje. McLaren, Red Bull e Mercedes estão na cola! A escuderia que se cuide, porque perdeu a liderança do mundial e corre risco de ficar para trás no campeonato mesmo tendo grandes pilotos (que começam a se desentender!).
Troféu Roda-baiana: Liuzzi
Rodou sozinho na largada e causou um acidente bem perigoso. Levou uma galera com ele, entre eles o pobre do Buemi, que já tinha sofrido um acidente espetacular na 6ª! Hoje o troféu é pra você Vittantonio!

Prêmio F1-V8: Jenson Button
Assim como na Austrália, venceu o GP da China seguindo uma estratégia arrojada. Além disso, pilotou com eficiência e precisão, mas dessa vez não conseguiu controlar tão bem o desgaste dos pneus, que o fizeram passar um certo sufoco nas voltas finais. Por incrível que pareça, Button tem conseguido fazer em 2010 atuações bem mais brilhantes que ano passado, quando foi campeão com um carro muito superior ao de seus concorrentes. 

Perguntas instigantes: Tecnicamente qual carro é melhor? McLaren ou Red Bull?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Anatomia: O fim do reabastecimento

Essa regra veio para mudar a dinâmica das corridas da temporada 2010 da F1. O objetivo era eliminar os reabastecimentos, diminuir o tempo de parada nos pits e assim, acabar com a tal ultrapassagem durante o reabastecimento, estratégia totalmente bem executada por Michael Schumacher tantas vezes. Bom, esta é a máscara esportiva da nova regra. Na verdade ela é responsável por mudanças técnicas muito mais drásticas!

O tanque dos carros da F1 em 2009 tinha capacidade para 120 litros. Assim era possível reabastecer e "jogar" com a quantidade de combustível e o peso do carro de acordo com a conveniência na corrida. Entretanto, com a necessidade de "carregar" combustível suficiente para terminar a corrida sob quaisquer condições as coisas tiveram que mudar. Assim, o tanque ganhou novas dimensões, passou para 250 litros, mais que o dobro da capacidade anterior. Os engenheiros passaram a ter dois grandes problemas para resolver. O primeiro deles seria: Como acomodar este novo tanque enorme em um local já apertado (pois a traseira do carro já tem motor, caixa de câmbio, parafernalha da suspensão traseira...). A outra dúvida era: Como adequar o restante do desenho do carro a este novo centro de massa e mantê-lo equlibrado e veloz?

A resposta para o primeiro questionamento foi alargar o entreeixos dos modelos 2010, que ganhou 15cm (150mm em engenherês ehhehe) para acomodar o novo tanque com o dobro de capacidade, ou seja, os carros ficaram mais longos. E também mais largos na traseira (vide foto comparativa). Além disso, as equipes tiveram que rever seus projetos de motores para torná-los mais eficientes e econômicos, isso é claro, sem perder a confiabilidade. Motores declaradamente "beberrões" como os da Ferrari, tiveram que tomar jeito. 

Mas adicionar quase 130 kg no carro com certeza vai alterar um ponto crucial na F1: A dinâmica do carro. Como desenvolver um carro estável, eficiente em curvas, com boa aderência sendo que houve uma alteração importantíssima no seu centro de gravidade? Para solucionar a questão, outras medidas importantíssimas foram tomadas. Obviamente, agora as equipes não trabalhariam mais com a distribuição de peso conhecida entre a dianteira e a traseira. Os pilotos tem que suar circuito a circuito para encontrar novas relações ideais de freio dianteiro/traseiro para cada condição de pista. Mas a mudança mais significante veio da Bridgestone, que foi obrigada a desenvolver pneus especiais para a dianteira que proporcionassem mais aderência e equilibrá-la entre os eixos. Assim, os pneus dianteiros ficaram 25mm mais magros (passaram de 270mm em 2009 para 245mm em 2010) e passaram a ser fabricados com um composto de borracha mais resistente para compensar o maior desgaste, já que os carros agora largarão com aproximadamente 100kg a mais do que em 2009.

Agora, superados os "perrengues" técnicos para projetar novos carros, é necessário ter estratégia na hora de enfrentar as corridas. Mais do que nunca, o estilo de pilotagem vai ser decisivo. Além de encontrar o ponto ótimo entre consumo de combustível e desempenho para cada configuração do motor, é importantíssimo pilotar para conservar bem os pneus, principalmente os traseiros, já que agora a maior tendência é a de que os carros sobrestercem, ou seja, saiam de traseira. Assim, previne-se o mico pago pelo Mansel em 1985, quando terminou a corrida a pé, em pane seca , empurrou o carro e caiu durinho antes da linha de chegada!

domingo, 4 de abril de 2010

GP da Malásia: Finalmente, Vettel!


O GP de Macapá da Malásia tem sempre uma preocupação. Assim como a capital do nossso estado do Amapá, Kuala Lumpur fica próxima à Linha do Equador. O que implica em diversas coisas, como o clima tropical (alta umidade e também temperaturas escaldantes). Isso tudo resuta na popular chuva das 17 horas. Quando estive lá em Macapá fui vitima de uma delas. A chuva é intensa, quente e parece que não vai passsar nunca. E a F1 foi atingida em cheio por ela em 2009 (lembra da corrida que terminou no meio, por volta das 17 horas?) e também no treino classificatório de ontem. E todos esperavam que ela pudesse aparecer novamente hoje. Coisa que não aconteceu. Mas apesar da trégua do toró no domingo de Páscoa, os efeitos do que caiu ontem na Malásia foram suficientes para mexer no grid de largada e garantir um GP da Malásia menos letárgico que o normal (mas ainda longe do espetacular GP da Austrália do domingo passado). 

Com Webber na pole position, McLarens e Ferraris fora das 15 primeiras posições e a possibilidade de chuva, foi dada a largada do GP da Malásia. Vettel não perdoou Webber e já fechou a primeira curva na liderança (para não mais sair de lá). A chuva esperada não pintou (mesmo com um verdadeiro frenesi das equipes, ainda traumatizadas com a tempestade de 2009 e o toró do sábado). Por incrível que pareça, algumas disputas de pista animaram a corrida, que sempre promete muita pasmaceira. Mas o pessoal até que deu uma colher de chá e resolveu colocar "a faca nos dentes" e partir pra cima, como Petrov  da Renault e Alguersuari da Toro Rosso. Além disso, no GP da Malásia muito motor abriu o bico, como de costume, já que o calor e a umidade além do vácuo, já que tivemos mais disputas esse ano, acabam contribuindo para o fim dos motores. O lado positivo (para quem quem já estava na gelada) foi Virgin e Hispania conseguirem finalizar a corrida com Di Grassi e Bruno Senna. Vettel, Webber, Rosberg, Kubica, Sutil, Hamilton, Massa, Button, Alguersuari e Hulkenberg foram os felizes pontuadores do GP da Malásia. Massa agora é o líder do campeonato, seguido por Alonso e Vettel. Vamos às análises!!

Marretadas
  • Ferrari: Depois da mancada do treino de sábado quando mandou Alonso e Massa nadarem, simplesmente não dá para acreditar em título mesmo com um bi-campeão ao volante. Domenicali fora, o quanto antes!
  • Sistema de pontos: A mudança não era para favorecer os vencedores no campeonato? Pois então. Hoje temos um líder que não venceu ainda em 2010. Segundo, terceiro e quinto colocados no campeonato já venceram, mas como foram menos regulares, não estão na liderança... A FIA poderia fundamentar melhor suas mudanças...
  • Alonso: Morro de medo de dar marretada no Alonso, porque aí vem a próxima corrida e ele me devolve mil marretadas no meio da cabeça. Mas a mão estava coçando... Depois de uma boa corrida de recuperação ele acabou empacado atrás de Button. E foi tanto tempo no vácuo do inglês que o motor Ferrari abriu o bico, na última volta, evidentemente por falta de refrigeração. Se ele tivesse deixado o bichinho respirar um pouco, teria ganho uns pontinhos em uma corrida perdida pela Ferrari ainda no sábado.
  • Fernanda: condenei meu xará antes de fazer a análise mecânica completa do problema. Esqueci que o espanhol perdeu uma das marchas ainda na metade da corrida. Daí, o motor opera em regime totalmente irregular, volta a volta, com marchas entrando em rotação inadequada. Isso, associado à refrigeração insuficiente, certamente iria acarretar em uma quebra. Para azar de Alonso, na última volta...
Pontos positivos:
  • Renault: chegou de mansinho e vai acumulando pontos e fazendo boas corridas. O que é surpreendente, já que a maioria já considerava os franceses como carta fora do baralho.
  • Rosberg: tem sido consistente e tem explorado ao máximo o potencial de sua Mercedes. Vem oferecendo uma boa resposta para quem esperava que ele tomaria um chocolate de Michael Schumacher.
  • Vettel: não fossem os problemas mecânicos... seria líder com muitíssima folga!
  • Massa: um ponto daqui, outro dali e ele é o novo líder. Prova de que de grão em grão a galinha enche o papo. 
Troféu cata-tatu: Lewis Hamilton
Na Malásia tem muito tatu para catar. Afinal, as áreas de escape do circuito parecem estacionamento de hipermercado. Mas mesmo assim, o cata-tatu de hoje vai para o Lewis Hamilton. Mesmo não visitando áreas de escape malaias, o campeão de 2008 tem feito jus ao título de mala ambulante em pista. Antes, até eu defendia sua postura arrojada em ultrapassagens e defesa de posição. Mas hoje ele exagerou. Ultrapassaou Petrov e ao defender a posição mudou de linha 3 vezes evitando que o russo pegasse o vácuo. Defender linha 1 vez pode, mas três é exagero. O Hamilton tá meio azedinho esse ano, totalmente TPM no cockpit. Chama o Papai dele de novo, porque TPM só sou obrigada a aguentar a minha e a da Giselle!

Prêmio F1-V8: Red Bull
Hoje conseguiu terminar a corrida sem nenhum problema em nenhum de seus carros. O que já demonstra que a Red Bul tem começado a resolver seu único problema sério, o de confiabilidade (ou seria macumba?). Mas vamos pensar... Não fossem os problemas mecânicos enfrentados por Vettel no Bahrein e na Austrália, ele teria 100% de aproveitamento (provavelmente) e 75 pontos, fazendo todo mundo comer poeira (inclusive os 11 títulos de Schumacher, Hamilton, Button e Alonso juntos). Ontem e hoje, Webber e Vettel colocaram todo mundo na cartola e passearam hoje por Sepang. Se McLaren, Ferrari e Mercedes não fizerem algo logo, ficarão a ver navios o resto da temporada.


Perguntas instigantes: Você acredita no título do Vettel??

Pra quem perdeu o GP da Malásia...

Esta é pra você, que acordou cedo, assistiu à largada, acabou dormindo e acordou no meio do Pai Nosso na missa do Padre Marcelo Rossi...



Fonte: globo.com

domingo, 28 de março de 2010

GP da Austrália: O chuvisco que fez a diferença!

Toda vez que chove em Albert Park todos ficam de cabelos em pé. Terror e pânico! O circuito australiano, montado em no parque de mesmo nome em Melbourne, é um terror para a aderência, mesmo em dias de pista seca. Resultado? Muito raramente mais que 15 carros terminam esta prova. Em 2008 foram apenas 8. Ano passado, 12. E este ano, com pista úmida a história não foi diferente. Minutos antes da largada uma chuva deixou a pista molhada. Por isso, todos optaram por largar com pneus intermediários. Chuva + Traçado desafiador são ingredientes fundamentais para uma prova emocionante, bem diferente do maçante GP do Bahrein disputado há 15 dias.
Logo na largada, simplesmente Alonso, Schumacher e Button se engalfinharam. Sobrou para Schumacher e Alonso, que acabaram no fim do grid.Kobayashi, Hulckenberg e Buemi também se engalfinharam em um acidente inacreditável, sem vitimas, ainda bem. Já Massa e Kubica se deram bem e conquistaram algumas posições.
Mas o que mais garantiu a emoção nesta corrida foi com certeza a condição instável da pista. Na volta 7 Button deu o pulo do gato (que no início pareceu tiro no pé) e colocou pneus de pista seca. Duas voltas depois todos os pilotos foram para os pits fazer o mesmo. E o que determinou quem se deu bem ou não foi justamente a capacidade de conservar pneus. Nisso, a Red Bull, que parecia dominar a corrida, acabou se dando mal, com o incidente de Vettel e o rendimento decadente de Webber. Nisso, Button acabou abocanhando o GP da Austrália, seguido de Kubica e Massa. ALonso, Rosberg, Hamilton, Liuzzi, Barrichello, Webber e Schumacher completaram a zona de pontos.

crédito: Tazio

Marretadas
  • Schumacher: está certo que ele se envolveu na cofusão dos campeões na primeira volta, mas deu pra perceber que pilotar na Austrália hoje foi tarefa dura para o Schumacher. Passou 40 voltas atrás de Alguerssuari!
  • Amadoras: Lei dos 107% do tempo, já! Hispania e Virgin ainda estão na GP2. Acho que di Grassi e Senna entraram numa gelada!
  • Horário: O GP da Austrália era um dos nossos favoritos. Começava à meia noite, dava tempo de sair, ir para o Shopping, passar no Butequis e ainda chegar em casa a tempo de arrumar tudo para ver a largada. Mas esse horário quase-GPda MAlásia não dá! Três da manhã, a corrida acaba às 04:30... super penoso! Fora que acho perigoso pilotar naquele crepúsculo australiano... a corrida acabou quase no escuro!
  • Azar: Tiraram o nome do Raikkonen da macumba e colocaram o do Vettel. 2 vitórias quase garantidas que escaparam por problemas mecânicos totalmente incomuns: uma vela de motor rachada no Bahrein e um porca da roda quebrada na Austrália. Uma pena, pois Vettel já seria o líder disparado se tivesse conseguido vencer ambas as provas...

Pontos positivos:
  • Button: Com toda essa condição de pista "melada" mostrou que é campeão do mundo não pelo arrojo, mas pela suavidade. Button sabe conservar o carro e principalmente os pneus. Quando todo mundo sofria com desgaste, ele estava com pneus zerados e um carro na mão.
  • Chuva: quer corrida emocionante? Molhe a pista! Este componente aleatório é determinante para corrida boa (em pistas que não sejam marca Tilke). Hoje a chuva, mesmo fraca, fez a diferença e proporcionou uma ótima corrida, espantando um pouco o fantasma do tédio nas provas da F1.
  • Ferrari: comeu pelas beiradas a corrida inteira (tirando a grande largada de Massa). Alonso e Massa tiveram dificuldades, mas ainda conseguiram ganhar muitos pontos importantíssimos para o campeonato. Mas é bom ficar de olho, porque o carro da McLaren hoje mostrou-se muito equilibrado e certamente vai dar muito trabalho!
  • Largada do Massa: redimiu-se da largada ruim no Bahrein pulando de 5º para 2º hoje... sabe-se lá onde ele arranjou tração para conseguir pular tanto antes da prumeira curva.

Deu merda: Hamilton x Webber e Hamilton x Webber x Alonso
Nas duas condições de ultrapassagem, alguém acabou catando um tatu. E temos dois reincidentes! Mas não vamos condená-los, afinal, alguém tem que colocar a faca nos dentes e amarrar a faixa de Rambo na cabeça pra dar emoção ao negócio!

Roda Bahiana: Fernando Alonso
Antes que me crucifiquem, vou deixar avisado! ISso não é prova de que Alonso é piloto-peba! NAda disso!! Mas aquela rodada com direito a ir contra a correnteza colocu uma pimenta na corrida antes da primeira curva! E óbvio, Alonso fez a gente pagar a língua, recuperando-se de forma espetacular e ainda garantindo a 4ª colocação... Mas que é bom cutucar a onça com vara curta de vez em quando é, né?

Troféu F1-V8: Robert Kubica
Tirou leite de pedra a bordo do Renault Sendero pintado de amarelo que deram pra ele pilotar! Foi oportunista na largada e na relargada e conseguiu manter o ritmo mesmo com pista em condição difícil e com desgaste de pneus. Voltou ao pódio e parece espantar a má fase que o assola desde ano passado. Espero que o Kubica volte a fazer grandes corridas, mas ele poderia ir ao pódio de bala clava! Pense num bichinho fraco de aparência, affe! 
 
Perguntas instigantes: Pode-se considerar a Renault como uma candidata a mais pódios e vitórias em 2010???

Pra quem dormiu ...

Ou trabalhou como eu, aí vai o link da Globo para assistir ao GP da Austrália na íntegra.

Assiste aí!!


sexta-feira, 26 de março de 2010

Quer trabalhar na F1? Pergunte-me como!


 A proposta é bem indecente, mas é realidade. A Renault F1 Team acaba de lançar seu programa de estágio anual. O processo seletivo desenvolvido pela Altran Academy vai premiar 2 projetos sobre inovação tecnológica aplicável para a F1 em qualquer uma das grandes áreas de interesse da equipe: erodinâmica, sistemas de controle e eletrônica, desenho e análise, engenharia de desempenho, poder de recuperação de energia, materiais de pesquisa e desenvolvimento, transdutores e tecnologia de teste ou dinâmica de veículo. 
Desta vez serão duas vagas oferecidas. Um escolhido irá trabalhar na sede de Enstone, na Inglaterra e a outra criatura sortuda irá estagiar na sede francesa da Renault, em Viry-Châtillon. Os benefícios (além do estágio na Renault F1) serão uma bolsa de 6.500,00 euros, um carro da empresa com vale-combustível e auxílio moradia. Para fazer a inscrição, o candidato deve ser formando ou recém formado (graduados em 2008 ou 2009) em cursos da área de Ciência e Tecnologia. Para inscrever-se, o candidato deve escrever um Resumo (abstract) do projeto e um resumo expandido de até 500 palavras no site da Altran Academy até 28 de maio. Os finalistas serão conhecidos em 14 de junhoe terão que defender seu projeto lá na Inglaterra (ano passado as passagens foram custeadas pela Altran Academy). 
Este já é o 7º ano do programa e um brasileiro já foi o escolhido em 2008. Quem sabe esta não é a grande chance que vc esperava?

domingo, 21 de março de 2010

Ayrton Senna, 50 anos...


"O que sinto num carro a 300 km/h? Emoção, prazer, desafio..." Ayrton Senna

domingo, 14 de março de 2010

GP do Bahrein: Começou!

Crédito: GPUpdate

Agora sim as verdades começam a ser reveladas. Semana passada estávamos em um mar de dúvidas, agora já começamos a tatear o que será esta temporada da F1. 
Neste Grande Prêmio do Bahrein, ainda esperava-se para ver algumas reações, principalemtne de Schumacher e da Mercedes, que prometiam (e ainda prometem) dar muito trabalho. Mas penaram um pouco na corrida de hoje.Outra dúvida era: será que alguém vai sofrer pane seca hoje? Bom, a pé por falta de combuistível ninguém ficou, mas é claro que os pilotos penaram um pouco com os pneus: carro mais pesado implica em sofrimento dos pneus. Tirando Vettel, o início da prova foi bem difícil, principalmente para quem largou com pneus macios. Os duros mantem um rendimento bem mais forte e fizeram muita diferença após o 1º pit stop, Ferrari que o diga. 
Além disso, uma grande dúvida pairava no ar em relação às novatas: Lotus, Virgin, Hispania. Todos pensavam em como seria o comportamento delas na pista e como seria a reação dos outros carros com esses que certamente seriam mais lentos. No fim, durante a corrida tudo foi tranquilo. Como esperado andaram devagar e como era esperado também, não conseguiram terminar a corrida, tirando a Lotus, que conseguiu chegar ao final com Kovalainen e Trulli, um pouco de mérito deles, que são mais experientes que a meninada estreante das outras equipes (tirando Glock).
No geral, a corrida foi tranquila e parece que o fim do reabastecimento vai forçar as ultrapassagens em pista. Entretanto, ainda esperamos dias mais emocionantes nesta 60ª temporada da F1.

Marretadas
  • Sauber - Ah, a Sauber estava lá? Juro que não percebi...
  • Williams - Conseguiram 1 pontinho com Barrichello, mas entra ano, passa ano a Williams se acomoda em ser uma equipe apenas mais ou menos. Vamos ver se consegue dar a seus pilotos carros um pouco mais confiáveis.
  • Renault - Nem o dinheiro de Putin vai fazer a Renault andar direito. Foi bem no treino mas hoje não rolou. Ainda mais com o Petrov, que na minha opinião é uma forçação pra fazer corrida na Russia e conseguir a grana dos novos ricos de lá. Onde o Kubica estava com a cabeça quando foi parar na Renault Lada? Essa temporada vai ser longa pra ele!
 Pontos positivos
  • Massa - Deu uma ótima resposta para quem pensava que ele não seria mais competitivo. Sem disputar um GP desde julho, provou que retomou a carreira exatamente de onde parou. Ainda está forte, rápido e a prova disso foi o seu rendimento no treino, garantindo a primeira fila e também na corrida. Na largada perdeu posição para Alonso, o que não é demérito algum, já que o espanhol é o melhor largador de todos os que estão lá. Manteve-se forte durante toda a corrida e ainda pode sonhar com o título.
  • Alonso - Casou com a Ferrari que nem uma luva. Çargou muito bem e quase assumiu a ponta. Mas manteve o ritmo forte a corrida inteira e quando o carro de Vettel começou a dar problema, estava lá como um predador, pronto para devorar a presa. E o fez. Se ninguém se mexer e deixarem Alonso "gostar" do campeonato, vai ser tarde demais para tentarem tiraro o título das garras dele.
  • Schumacher - aos 41 anos e com 7 títulos da F1 na gaveta, ele poderia estar disfrutando de uma aposentadoria rentável em casa, mas não. Sem resistir ao convite, pegou o capacete de novo e foi para a pista. Apesar das dificuldades e do físico, que não é mais o mesmo, ainda é competitivo, papando o 6º lugar hoje. Certamente, ainda vai dar bastante trabalho nesse ano!
Prêmio cata-tatu: Timo Glock
Não é supresa nenhuma a antipatia que tenho pelo moço, não é? Então. Agora ele está onde merece, no fim do grid. Tomara que o di Grassi de umas surras nele por mim... E que ele apareça por aqui muitas vezes... Muhhaaahahhaaaaaaa
Troféu F1-V8: Sebastian Vettel
Ignorando as dúvidas e incertezas do início da temporada, Vettel resolveu fazer o que sabe de melhor: acelerar. Por isso foi o pole, colocando poeira na boca de muita gente boa que teve que se contentar em largar atrás dele. Hoje fazia uma corrida impecável, até ter um problema mecânico sério, que quase o tirou definitivamente da disputa. Assim que cruzou a linha de chegada em 4º, parou, prova de que o problema realmente era muito sério. Mas mesmo assim, Vettel já mostrou que é valente e que não está para brincadeira em 2010. Cuidado com ele!!


Dúvida instigante: Será Schumacher vai vencer este ano???