domingo, 14 de setembro de 2008

GP da Itália - L'enfant terrible


Se no início da temporada alguém se arriscasse a dizer que a Toro Rosso venceria uma corrida, certamente todos diriam que isso seria completamente impossível. Mas como em 2008 está sendo um ano totalmente anômalo, chegou a vez da Toro Rosso escrever seu nome entre as vencedoras da F1. E não foi em qualquer lugar: a equipe italiana equipada com motor Ferrari triunfou em nada menos que Monza, um templo sagrado do automobilismo.

O domingo amanheceu feio na Itália. Uma chuva fina insistia em cair desde as primeiras horas da manhã. Com isso, a pista ficou um tanto quanto molhada e a direção de prova achou mais prudente realizar a largada com o Safety Car. A torcida geral era para que o carro de segurança saísse logo da frente e deixasse a disputa rolar solta. O que aconteceu na 3ª volta. Mas este seria apenas o início de um GP da Itália emocionante:
  • Logo na largada uma decepção para a Toro Rosso: Sébastien Bourdais tem problemas no grid e não consegue sair com os outros carros. O francês só retornou à pista duas voltas depois, minando suas possibilidades de chegar bem;
  • Vettel aproveitou a saída do Safety Car para largar bem e afastar-se do pessoal do spray. A pista ainda estava muito molhada e as condições de visibilidade dos pilotos era mínima. Mesmo assim, não houve o famoso espalha-espalha que geralmente acontece na primeira chicane do GP da Itália;
  • Lá atrás, Hamilton e Raikkonen disputam posição. O inglês conseguiu superar o piloto da Ferrari na 12ª iniciando uma impressionante corrida de recuperação. Enquanto isso, Massa mantinha-se na 5ª colocação e fazia uma corrida segura, pensando no campeonato. O medo de perder pontos era tão grande que, após ter superado Rosberg passando por cima da Variante Dalla Roggia, Felipe devolveu a posição para evitar qualquer possibilidade de penalização;
  • Enquanto isso, belas disputas por posições aontecem a todo instante: Massa x Rosberg, Hamilton x Alonso e muitas trocas de posições no pelotão intermediário. Na volta 20 iniciam-se as paradas para reabastecimento e troca de pneus, revelando que alguns pilotos como Piquet, Kubica e Hamilton sinalizavam apostar na estratégia de uma parada só;
  • Nessa fase da corrida Hamilton mostrava-se impetuoso nas ultrapassagens, não tomando conhecimento dos adversários. A esta altura, o inglês já figurava na vice-liderança da prova, 13 posições à frente da que largara. Até que chegou a hora do piloto da McLaren parar, na volta 28 e retornar atrás de Felipe Massa na 8ª colocação;
  • A partir daí, a pista começou a secar e os pilotos tiveram que retornar aos pits para colocar pneus intermediários. Inclusive Lewis Hamilton, que apostava em uma parada única para tentar dar o bote em Vettel nas voltas finais;
  • Nas voltas finais, a apreensçao ficou por conta da disputa entre Massa, Webber e Hamilton. O piloto inglês mais uma vez foi para cima de Webber para garantir a ultrapassagem. Os dois chegaram a se tocar e o piloto da Red Bull teve que fazer a Variante Rettifilo por fora da pista. Com isso, Hamilton limpou o caminho para atacar Felipe Massa, que defendeu a posição e escapou das investidas do inglês;
  • Enquanto isso, Vettel reinava absoluto na ponta, guiando com cidado e responsabilidade e abrindo espaço em relação a Heikki Kovalainen. Robert Kubica conseguiu tirar vantagem da estratégia de uma parada só e assumiu a 3ª colocação;
  • Nas voltas finais, Raikkonen pareceu acordar do hibernamento e começou a andar forte, realizando ultrapassagens e marcando a melhor volta da prova, aproveitando-se da melhora na condição da pista. Em contrapartida, o carro de Hamilton começou a perder rendimento fazendo com que ele se contentasse com a 7ª posição;
  • Enfim, Vettel seguiu soberano para a vitória, acompanhado de Kovalainen e Kubica que também subiram ao pódio. Alonso e Heidfeld apareceram na 4ª e 5º colocação seguidos por Massa, Hamilton e Webber, que completaram os pilotos da zona de pontuação. Piquet recuperou-se da corrida fraca no final e cruzou a linha de chegada em 10º. Barrichello, carregando seu Honda nas costas chegou apenas em 17º;
  • Agora o campeonato pegou fogo de vez. Massa está com 76 pontos, a apenas 1 ponto de Hamilton, o líder. Kubica deixou Raikkonen para trás e aparece com 64 pontos na 3ª colocação.

Pontos Positivos:

  • Lewis Hamilton: realizou grandes ultrapassagens hoje em psio molhado. Não tomou conhecimento de Raikkonen, Alonso, Glock, Heidfeld, Trulli. Fez com Webber uma disputa dura pela posição, mas poderia ter espalhado menos para cima do australiano. Como as chicanes na Itália têm quebra molas, ficou fácil saber onde podia ou não passar. Foi bonito de ver o Hamilton sobrando na pista;
  • Heikki Kovalainen: sempre criticado por conseguir largar bem e não manter a posição, dessa vez Kovalainen fez a coisa certa. Mostrou-se rápido durante todo fim de semana, aparecendo sempre à frente de Hamilton. Hoje, mesmo enfrentando problemas de equilíbrio, não cometeu erros e conseguiu chegar em mais um pódio;
  • Robert Kubica: ficou na dele a corrida inteira. Largou em 11º e soube fazer uma prova sem erros e com a estratégia na medida certa para ganhar muitas posições. Assim, ganhou o terceiro lugar tanto na prova quanto no campeonato.
  • Felipe Massa: soube fazer uma corrida à "mineira" para tirar mais um ponto em relação a Hamilton. Poderia ter sido mais combativo em relação à Heidfeld, mas recordou-se dos erros do início da temporada para ficar na sua e não comprometer a disputa pela ponta no campeonato.

Marretadas:

  • Raikkonen e sua Ferrari: o efeito hibernação atingiu novamente Kimi Raikkonen. Mostrou-se apático durante toda corrida e claramente tinha dificuldades de equilíbrio em seu carro. Já no final, com a melhora da condição da pista e com pneus intermediários, acordou do sono, fez ultrapassagens e marcou a volta mais rápida. Entretando, acabou ficando mais uma vez sem pontos e raticamente disse adeus ao campeonato desse anos, o que é uma pena. Raikkonen poderia colocar fogo na disputa pela taça;
  • Nico Rosberg: estava bem durante todo o fim de semana, largou em boa posição e chegou a aparecer em 4º na corrida. Quando a pista secou, sofreu um apagão e foi parar na 14ª posição. Assim, a Aline chora!
  • Honda: está cada vez mais sofrível. Parece que Barrichello e Button estão pagando os pecados da vida inteira naquele cockpit. Nem Ross Brawn pode dar jeito nela. Assim, fica difícil atrair Fernando Alonso para lá. Até Barrichello estaria de malas prontas para a vitoriosa Toro Rosso. Faz ele muito bem.

Troféu Roda Bahiana: Glock (claro), Webber

Tinha esperanças de que a pista molhada oferecesse mais candidatos ao roda bahiana, mas até que o pessoal se comportou bem. Glock, mas uma vez, deu sua rodadinha, sem grandes consequências. Webber também rodou bonito e voltou para a pista. O espetáculo das rodadas aconteceu mesmo nos treinos e qualificação. Pista molhada é fogo! Ai que saudade do TC!!! hehehhe

Troféu cata-tatu: David Coulthard

Tá difícil de aguentar o David nessas suas últimas corridas. Acho que, pela idade, ele está perdendo o campo de visão periférica. Sempre que alguém vem para disputar posição com ele, é espinafrado na curva e aí é catar tatu na certa. Hoje, David mandou Fisichella e Nakajima catarem tatus italianos. No último incidente, os pedaços de seu carro e da Williams de Nakajima ficaram espalhados no meio da Parabólica já no finalzinho da corrida. Vettel, Massa e Hamilton passaram sobre os detritos e poderiam acabar com o pneu furado. Graças ao nosso querido David. Assim a gente conta com prazer: faltam 4.

Prêmio F1-V8: Sebastian Vettel e Toro Rosso.

Não poderia ser diferente. São os nomes da corrida. Vettel levou a Toro Rosso, ex-Minardi à vitória. MINARDI! Lembram dela? Quem diria que hoje venceria uma corrida em casa, fazendo os carros da McLaren, Ferrari, BMW comerem poeira (ou melhor, beberem água). E a festa só não foi completa pois Bourdais teve problemas na largada.

Quanto a Vettel, o que dizer de um piloto que conquista sua primeira vitória em um templo do automobilismo? De quebra, o alemão pulverizou o recorde de Fernando Alonso, tornando-se o piloto mais jovem a vencer na F1. Sebastian pilotou com maturidade, responsabilidade e concentração, não dando margem à ansiedade e aos erros que poderiam ser até normais em uma corrida disputada sob chuva. Ignorou os nomes de peso que disputavam o campeonato, marcou uma pole incrível e hoje cruzou a linha de chegada na primeira colocação conquistando uma vitória histórica. como um menino travesso, desviou a atenção da disputa do campeonato, comemorou a vitória com singeleza e espontaneidade e mostrou ao mundo que este é apenas o começo de uma carreira que tem tudo para ser vitoriosa.

Peruntas instigantes: Vettel chegará a ser campeão na F1?

10 comentários:

Marcelonso disse...

Olá Meninas,

Faz tempo que não escrevo aqui,o meu tempo tem sido escasso.
Prometo que voltarei com mais regularidade,assim como a Renault de Alonso.

Que corrida!Foi de tirar o folego do inicio ao fim,nada estava definido,o vento mudou várias vezes.

Vettel,foi genial,uma estrela da grandeza de Schumacher,Alonso,Hamilton...,tocoucomo um veterano.

Outro que deu show foi Hamilton,temos que aceitar o cara é bem mais completo que Massa,não fosse a necessidade da troca de pneus seria segundo com certeza.

Uma decepção foi Raikkonen,como o pessoal do warmup falou,esqueceu de tomar o Acordol antes da corida.Neste ano como tem feito corridas horriveis.

O campeonato tá muito bom mesmo,como vcs bem disseram quem poderia imaginar que a Toro Rosso venceria em Monza,e de forma categórica.

abraços

Ron Groo disse...

Putz... Demorei para perceber que o titulo dois dois ultimos posts são parecidos... Êh idade...
Pois bem...
Vettel foi demais, seguro, competente, macho pacas... porém...
Choveu no sábado. a classificação ficou louca e ele saiu na frente.
Choveu no domingo antes da largada e tudo ficou muito dificil.
O 'se' não corre mas, Estivessemos em pista seca e uma corrida normal, com a Toro ele não chegaria nos pontos sequer.
É legal ver um cara que sim, vai ser campeão do mundo um dia, por que braço para isto ele tem, talento também, vencendo numa pista sagrada e naquelas condições.
Só que forçosamente temos que admitir.Foi atipico!
Grande post!

Thiago Raposo disse...

Muito bom ver a nova geração vencendo!
Abraços...

Marcos Antônio Filho disse...

Vettel será sim,um campeão de F1,achoque sua evolução é mais nítida do que o Hamilton,já que o Vettel tá tendo que ralar em uma equipe pequena e Hamilton já chegou comendo filé...

E Coulthard tá na hora de pedir pra sair!Manda logo o Vettel pra Red Bull!

GiglioF1 disse...

Meninas,

Como sempre um perfeito zoom da corrida!!!!Parabéns!

A unica coisa que discordo , quem diria, é que Massa foi demasiado apático...deveria ter ido buscar um podium... Perdeu uma oportunidade de ouro de sair como lider...

Abraco!

Fabricio disse...

Parabéns pelos ótimos comentário. Eu achei que o Massa não quis se arriscar, aliás faz ele muuuuito bem, ele é quem mais tinha a perder caso ele não pontuasse, então, ele admitiu que não consegue correr com chuva e fez o que deu pra fazer. Pra mim pior é o companheiro(?) dele dizer q ainda não é hora de ajudar. Acho que tá na hora da Ferrari tomar conta da situação e se impor, caso ele num queira, só contratar o Rubinho pra estas provas finais, com certeza melhor que o Raikonen que num ta nem um pouco afim de ajudar.

lynwilliams disse...

Hahahaha, ele me faz chorar, vocês me fazem rir :D

Sabe que eu achei o treino mais chocante do que a corrida? O resultado final foi a vitória da chuva, que sempre nos proporciona espetáculo.

Puxa, não é que luizinho tinha razão sobre a falta de, hmmm, adácia de Kimi?

Grid GP disse...

Gosto muito da forma como analisam a corria. Acho que as meninas fizeram jornalismo e não contaram.

O "efeito hibernação" foi uma ótima sacada. Estou pensando em fazer um bolão no Grid GP sobre quem vai ser o carro "acertado" por David Coulthard na próxima prova!

Parabéns pela análise. Foi um grande prazer ler vocês no Grid GP.

Abraços.

Fábio

Filipe Furtado disse...

Òtimo texto. Só uma pequena correção: o Kubica já chegou em Monza a frente do Kimi, com a confusão do Hamilton, ninguem percebeu que o polones tinha passado para terceiro em Spa. Mais impressionante o Kimi esta mais proximo do Heidfeld do que fo Kubica (na verdade esta mais perto do Kovalainen também). A Ferrari tem que fazer alguma coisa para interromper a hibernação do Kimi.

Blog F1-V8 disse...

Olá pessoal, obrigada pelos comentários!! Acho que as unanimidades foram a tocada do Vettel e o fato de que esta foi a melhor corrida de 2008, até agora...
Marcelo: o acordou fez falta pro Kimi... Ele só tomou faltando 5 voltas pro final. Acordou e fez a melhor volta! Vai ter que lutar pelo 3º, agora...
Groo: realmente, não fosse a chuva, provavelmente o Hamilton levaria essa fácil... Mas La Niña está aprontando das suas esse ano e parece que ela é fã do Vettel!!
Thiago: Novíssima geração... quem pensaria que um moleque de 21 anos colocaria os outros para trás assim...
Marcos: realmente, o Hamilton ainda não sabe o que são dias ruins em carros ruins... esse é o mérito do Vettel, na nossa opinião...
Giglio: o Massa nada conversando demais com o Kimi... Espero que apatia não seja contagiosa... Deve ser culpa do Domenicali!
Fabrício: contratar o Rubinho seria uma boa! ehhaehhaehaeha
Aline: é verdade, audácia, pq nós somos mulheres de família... Bola quem tem é futebol, basquete, tênis...
Fábio (grid GP): Obrigada pelo elogio! Mas escrever é dificil, principalmente para uma engenheira e uma designer! Agora, sobre o bolão, apostamos que o DC vai pegar ou o Rosberg ou o Fisichella... Merece uma enquete!
Filipe: é verdade, desde Spa o Raikkonen está atrás do Kubica. Agora mais ainda!! O Raikkonen hibernou, precisa de uma cachacinha mineira diretamente de Salinas pra esquentar o sangue! Uma dose e aposto que o iceman ganhava todas as corridas! (Mas tem que prometer a dose antes e só beber depois, por causa do bafômetro!)

Abraços a todos!!!