terça-feira, 20 de maio de 2008

Domingo, 25 de maio

Este domingo vai ser especial. Teremos duas das três provas que compõem a Tríplice Coroa do Automobilismo: as 500 milhas de Indianápolis e o GP de Mônaco de F1. Para completar a coroa fica faltando apenas as 24 Horas de Le Mans, que serão realizadas em 14 de junho. É automobilismo para fã nenhum botar defeito!
Essas 3 provas não têm fama à toa. Todas são tradicionais, datadas do início do século XX e do advento do automóvel. Foram corridas como estas que fizeram o amor pelos carros e pilotos que desafiavam todos os limites possíveis nascer em muitos corações mundo a fora. Os ingredientes principais? Fama, coragem, arrojo, glamour e dinheiro compõem o tempero principal dessas corridas que fazem história até os dias de hoje.
500 Milhas de Indianápolis
A prova mais tradicional do automobilismo das Américas começou a ser disputada em 1911 no mítico Indianapolis Motor Speedway. A pista, que antes era construída em tijolos e servia para testar os primeiros carros contruídos nos Estados Unidos, abriga hoje a principal etapa do campeonato da IRL americana. No próximo domingo, os 33 carros classificados percorrerão aproximadamente 805 km pelo circuito oval no sentido anti-horário.
Tradicionalmente, a prova é disputada no fim de semana do feriado do Memorial Day e reúne milhares e milhares de fãs, que chegam de todas as partes dos EUA e também do mundo para assisitir à corrida in loco. Para abrigá-los, há uma rede hoteleira pronta para acolher os torcedores em Indianápolis, mas ainda assim, muitos preferem armar suas barracas e estacionar seus Motorhomes na extensa área de camping póxima ao autódromo. A importância das 500 milhas é tão grande, que o mês de Maio é inteiramente dedicado aos treinos classificatórios para a corrida.
Vencer as 500 milhas não é tarefa fácil. Devido a alta velocidade desenvolvida no circuito e a quantidade de carros, além do próprio desenho da pista fazem do menor erro uma passagem só de ida para o encontro com o muro. Além disso, é uma prova imprevisível, com muitas ultrapassagens,bandeiras amarelas e estratégias distintas de reabastecimento. Durante as 200 voltas, tudo pode acontecer.
Desde 1911 a pista do IMS passou por evoluções. Hoje uma asfalto quase que perfeito recobre os tijolos que outrora fizeram a fama de muitos carros e pilotos. O temido muro ganhou uma nova tecnologia, a do soft wall, que amortece os impactos quase sempre muito fortes que ocorrem durante treinos e corridas. A organização e segurança da corrida são impecáveis. Um dos fatos marcantes destas 92 edições da corrida é o do período entre 1950 e 1960 em que os carros da F1 desembarcavam nos EUA para disputar as 500 milhas juntamente com os modelos americanos. A FIA estuda a possibilidade de trazer a F1 de volta às 500 Milhas de Indy, num tira-teima entre F1 e IRL.
Aos que conseguem vencer o desafio de Indianápolis é reservado o prêmio de 1 milhão de dólares, uma garrafa de leite fresco, fama e o direito de escrever o nome entre aqueles que conseguiram ganhar a prova mais famosa do automobilismo mundial.
GP de Mônaco
Para alguns uma verdadeira tortura ver os 20 carros em procissão pelo Principado. Para outros é a jóia mais importante da coroa da F1. O GP de Mônaco está longe de ser uma unanimidade entre os fãs, mas todos devem concordar que esta é, certamente, a corrida mais famosa do calendário da categoria.
Na manhã deste domingo será dada a largada ao 66º Monaco Grand Prix. Os carros da F1 rasgarão as claustrofóbicas ruas do Principado a quase 300 km/h. Com certeza, nem os fãs mais entusiasmados que assistiram ao 1º GP de Mônaco em 1929, poderiam imaginar que os carros de corrida evoluiriam a ponto de alcançar tal velocidade. E um fato curioso: o circuito que recebe a prova pouco mudou nestes 79 anos.
Assim como em Indianápolis, Monte Carlo vira local de perigrinação durante o fim de semana do GP. Todos os minúsculos espaços do segundo menor Estado do planeta ficam ocupados por fãs da velocidade e do glamour da corrida. Além disso, algumas coisas só podem ser vistas em Mônaco, como os incontáveis iates atracados à Marina, que vira uma arquibancada de luxo para endinheirados do mundo inteiro acompanharem a disputa bem de perto.
Assim como em Indianápolis, Mônaco também é imperdoável com os erros. A menor perda de controle do carro, pode levar a uma "bitoca" no guard-rail, que fica quase dentro da pista. Qualquer toque pode ser fatal às suspensão e colocar um ponto final na corrida. Por isso, muitos pensam milhares de vezes antes de arriscar um pouco mais em sua pilotagem. Bom, ultrapassagens? Estas são raríssimas.
No GP de Mônaco os pilotos são alçados à condição de estrelas Hollywoodianas. Estrelas que são fáceis de serem encontradas pelos também apertados paddocks montados pelas escuderias, já que o festival de Cinema de Cannes (na vizinhança de Mônaco) ocorre na mesma época do Grande Prêmio.
O felizardo que faturar a corrida também tem seus luxos. É recepcioando pela família real e recebe o prêmio diretamente das mãos do Príncipe. E muito mais que um simples troféu, o piloto campeão do GP de Mônaco passa a ter o direito de escrever seu nome entre os grandes que venceram os desafios da pista mais difícil e tradicional da F1.
Heróis
Corridas míticas como o GP de Mônaco e as 500 Milhas de Indianápolis precisam de heróis. E aqui estão eles. Na corrida americana, 3 pilotos venceram as 500 em 4 ocasiões: AJ Foyt (1961, 1964, 1967, 1977), Al Unser (1970, 1971, 1978, 1987) e Rick Mears (1979, 1984, 1988, 1991) .
Já o GP de Mônaco tem um rei absoluto. Ayrton Senna da Silva. Vencedor de 6 corridas no Principado, com uma sequência quase que inacreditável de 5 vitórias consecutivas (de 1989 a 1993).
Até hoje, apenas um piloto conseguiu a façanha de vencer as três corridas da Triplice Coroa. Foi o inglês Graham Hill, que venceu o GP de Mônaco de F1 em 1963, a Indy500 em 1966, e as 24 Horas de Le Mans em 1972.

8 comentários:

Marcos - Blog da GGOO disse...

Boa coluna, gostei das estatísticas, principalmente a do Hill, não sabia dessa tríplice coroa dele.
Bacana!!
Parabéns pelo blog.

Fabio Cassita disse...

Belo blog, é dificil encontrar mulheres que curtem o automobilismo, e façam comentarios com propriedade. Muito legal
E no GP de Monaco acredito que vai dar Hamilton, mas tambem tenho leve esperança no Alonso

TRON disse...

Excelente Blog. Conheci-o essa semana e já está sendo um dos meus favoritos no leitor rss.
Parabens.

Felipe Maciel disse...

Excelente post, meninas!

Abs

Rodrigo Morano disse...

ahhhhhhhh Domingo vai ser um dia daqueles... a pipoca já tá no jeito. Podia pintar uma dobradinha brasileira. Mônaco e Indianapolis, seria bom pra esquecer a mancada do São Paulo hehehe.

Blog F1 Grand Prix disse...

Só estou chateado porque a BAND vai cortar metade das 500 Milhas para passar o futebol. Tomara que chova em Mônaco para que eu não fique totalmente decepcionado...

Grande abraço!

Gustavo Coelho

Loucos por F-1 disse...

Ayrton Senna é o vencedor absoluto de Mônaco e acho difícil alguém bater esse feito dele.
Creio que vai dar Hamilton nesse final de semana em Monte Carlo.

Leandro Montianele

Blog F1-V8 disse...

Obrigada a todos pela visita e elogios!

Fabio e Leandro: também acredito muito no Hamilton para esta corrida. É a única forma de tirar a vantagem da Ferrari, fora o fato da McLAren ser conhecidamente uma devoradora de vitórias em Mônaco.

Tron: seja bemvido! Seus comentários são importantes! Obrigada!

Marcos e Felipe: obrigada!!

Gustavo F1 GP: acho um desrespeito transmitirem corrida pela metade. Ainda mais para passar jogo do início do brasileirão...

Rodrigo: A mancada do São Paulo vai ser difícil de engolir!! Somos são paulinas tb e estamos arrasadas!!!